Notícias » Arqueologia

Arqueólogos noruegueses pretendem desenterrar barco usado em funeral viking

Aguardando aprovação do Parlamento, cientistas estão com medo de que embarcação seja destruída por fungos

Penélope Coelho Publicado em 15/05/2020, às 13h00

Condado de Østfold, na Noruega e a fotografia do scanner do navio
Condado de Østfold, na Noruega e a fotografia do scanner do navio - Divulgação

Após utilizar equipamentos de ponta para detectar um barco funerário viking sob uma fazenda no condado de Østfold, o governo Norueguês agora pretende realizar uma escavação para recuperar o meio de transporte, nomeado de Gjellestad. 

De acordo com Jan Bill, curador da Coleção de Barcos Vikings do Museu de História Natural de Oslo, as informações possíveis de se obter com a tecnologia atual irão permitir uma maior compreensão sobre rituais vikings. 

O anúncio feito na última segunda-feira, 11, diz que a intenção é destinar cerca de 15,6 milhões de coroas norueguesas para o projeto. Os cientistas agora aguardam a aprovação do Parlamento. Os pesquisadores, no entanto, têm pressa. Segundo a equipe de pesquisa, caso não seja escavado em breve, o barco pode sofrer deteriorações irreversíveis mediante a ação de fungos.

A navegação tem cerca de 20 metros de comprimento e está a apenas 50 centímetros da superfície. A embarcação esteve escondida por mais de mil anos e essa será a primeira vez que a Noruega irá utilizar tecnologia de ponta para realizar uma escavação na área.

Um dos costumes mais tradicionais dos povos Vikings era enterrar pessoas importantes em barcos. Junto dos falecidos, eram colocados seus pertences mais íntimos, em uma cerimônia que visava uma transição honrada entre a vida e a morte. Após a escavação, os pesquisadores pretendem encontrar mais dados sobre os famosos rituais.