Notícias » Arqueologia

Arte rupestre sugere que nativos se reuniam, há 500 anos, para ficarem chapados em caverna, diz estudo

“Apresentamos a primeira evidência clara da ingestão de alucinógenos em um local de arte rupestre", disseram os pesquisadores

Fabio Previdelli Publicado em 24/11/2020, às 15h00

Arte rupestre encontrada na caverna
Arte rupestre encontrada na caverna - Divulgação

Há cinco séculos, os antigos nativos da Califórnia se reuniam em uma caverna para ficarem chapados. Isso é o que diz um estudo feito por pesquisadores do Reino Unido e dos Estados Unidos. Tudo começou quando eles descobriram que uma forma de arte em espiral pintada na parede de uma caverna ao sul de Bakersfield lembrava uma flor inebriante conhecida como 'datura sagrada'. 

Além disso, eles encontraram restos de fibras da flor que haviam sido mastigadas e colocadas no teto da caverna. A descoberta desafia uma teoria muito debatida — o modelo de 'estados alterados de consciência' — que diz que os criadores de arte rupestre poderiam estar em estado de transe enquanto pintavam. 

Em vez de ser uma tentativa de capturar na pintura os fenômenos visuais observados sob a influência da planta, a arte representou a própria flor, disse a equipe. Essa imagem da planta pode, portanto, ter servido para transmitir conhecimento sobre a planta em preparação para experiências alucinógenas comuns. 

Comparação entre a pintura e a 'datura sagrada' / Crédito: Divulgação

 

“Os proponentes do modelo de estados alterados de consciência argumentaram que os alucinógenos influenciaram a produção pré-histórica de imagens em cavernas e abrigos de rocha”, explicaram os pesquisadores em seu artigo. “No entanto, ainda não há evidências claras para a preparação e consumo de substâncias alucinógenas diretamente associadas a qualquer sítio de arte rupestre no mundo”. 

Em seu estudo, o arqueólogo David Robinson, da University of Central Lancashire, e seus colegas analisaram aglomerados fibrosos chamados de libras que foram encontrados embutidos no teto da caverna do Pinwheel, na Califórnia. 

O nome do local vem de um design semelhante a um catavento vermelho pintado na parede da caverna — que a equipe acredita pode representar a 'datura sagrada, uma espécie de flor conhecida por ter propriedades alucinógenas que os nativos californianos usavam para induzir estados de transe. 

Aglomerados fibrosos que foram encontrados embutidos no teto da caverna / Crédito: Divulgação

 

Os pesquisadores também encontraram evidências de outras atividades comunitárias na caverna — especificamente, pontas de projéteis e endireitadores de flechas que são indicativos da fabricação e reequipamento de armas em preparação para caças. 

“Apresentamos a primeira evidência clara da ingestão de alucinógenos em um local de arte rupestre, neste caso, de Pinwheel Cave, Califórnia”, concluíram os pesquisadores. "As penas no teto da caverna são Datura wrightii, uma enteógena nativa da Califórnia", acrescentaram. 

Isso, eles disseram, indica que “em vez de ilustrar fenômenos visuais causados pela Datura, as pinturas rupestres provavelmente representam a planta e seu polinizador”. Os resultados completos do estudo foram publicados no Proceedings of the National Academy of Sciences