Notícias » Arqueologia

Artefato de idolatria: Fonte de 1.800 mil anos é descoberta em Israel

O chafariz, que simboliza uma espécie de leão humanizado, pode ter sido usado entre a era helenística e o início do Império Bizantino

Penélope Coelho Publicado em 01/06/2020, às 10h40

Fonte descoberta em Israel
Fonte descoberta em Israel - Divulgação

Um antigo chafariz que carrega consigo uma parte da história de Israel foi encontrado por acaso no Parque Nacional de Tzippori, norte do país. Segundo os representantes do parque, a fonte que simboliza uma espécie de leão humanizado é um exímio exemplo de artefato de idolatria. 

Esses objetos eram proibidos pelo Talmude babilônico, um manuscrito hebreu escrito por rabinos. Uma de suas regras ia contra a idolatria de objetos, para os judeus. De acordo com pesquisadores do Parque, fontes parecidas foram encontraras em regiões diferentes de Israel.

Segundo Iosi Bordowicz, diretor da Seção de Patrimônio da Autoridade de Natureza e Parques de Israel, esse artefato era feito provavelmente em mármore importado da Turquia. Esse tipo de objeto tinha normalmente a forma de uma cabeça de animal, ou, personagens da mitologia e foram usados desde a era helenística até o início do Império Bizantino.

Depois do descobrimento dessa gárgula, ela foi entregue para as autoridades de Israel, a fim de que seja estudada e analisada. Atualmente, o objetivo dos estudiosos locais é que o fontanário possa ser exibido como artefato histórico, ao lado de outras dezenas de peças antigas, no Parque Nacional de Tzippori.