Notícias » Arqueologia

Artefatos indicam que primeiros povos do leste da Inglaterra eram violentos

Os objetos, que somam 453 no total, são datados da Idade do Bronze e incluem restos de machados, pontas de lança, punhais e facas, entre outros. Eles estarão disponíveis ao público no Museu de Docklands, na Inglaterra

Ingredi Brunato Publicado em 10/09/2020, às 15h09

Crania mostrando trauma e espadas completas da coleção permanente do museu.
Crania mostrando trauma e espadas completas da coleção permanente do museu. - Divulgação/ Museu de Docklands

A coleção de achados da Idade do Bronze, que é a maior já encontrada em Londres, será colocada em exposição no Museu de Docklands, Inglaterra, a partir de sexta-feira, 12. Ela havia sido enterrada por volta de 850 anos antes de Cristo, e foi desenterrada em 2018 por arqueólogos investigando um assentamento nas margens do rio Tâmisa. 

O tesouro envolvendo objetos de bronze é composto principalmente de armas, incluindo restos de machados, pontas de lança, fragmentos de espadas, punhais e facas. O restante minoritário são joias. 

O que esses achados revelam é que os londrinos de 3.000 anos atrás viviam em uma sociedade violenta e marcial. Outros itens que estarão disponíveis no Museu de Docklands são crânios lesionados pelo que parecem ser profundos golpes de espada, e lâminas gastas pelo uso contínuo. 

A curadora Kate Sumnall mostra um raro "anel de terret". Crédito: Divulgação/Museu de Docklands

 

Outras curiosidades da coleção são as navalhas usadas para cortar barba, algo que representava um sinal de status social entre os humanos do período, assim como "anéis de terret", usados para evitarem que as rédeas dos cavalos se enroscassem nas carroças. 

Esses dispositivos para carroças foram os primeiros a serem achados no Reino Unido, tendo sido vistos primeiro em outros lugares. Assim, os anéis revelam também o aspecto mais conectado da sociedade dessa época, que não só realizava trocas comerciais, mas também compartilhavam conhecimentos.