Notícias » Dinamarca

Assassinato de jovem negro na Dinamarca causa indignação

Segundo informações divulgadas pela BBC, a promotora do caso afirma que não é possível provar que o crime foi motivado por racismo

Giovanna de Matteo Publicado em 01/12/2020, às 12h25

Foto de manifestação do Black Lives Matter
Foto de manifestação do Black Lives Matter - Wikimedia Commons

Dois irmãos foram presos na Dinamarca depois de um julgamento que os condenou pelo assassinato de um amigo, enquanto estavam na Ilha de Bornholm.

Phillip Mbuji Johansen, de 28 anos, de pai dinamarquês e mãe tanzaniana, foi encontrado morto em 23 de junho com cerca de 39 ferimentos em todo o corpo. Segundo informações divulgadas pela BBC, o caso despertou temores por conta da cor de pele do rapaz, que pode ter sido a motivação de seu assassinato.

No entanto, os irmãos Magnus e Mads Moeller não receberam nenhuma acusação de crime de ódio, mesmo depois de os promotores que participaram do julgamento dizerem que o crime poderia ter sido influenciado pelo racismo.

O crime

O estado do corpo de Johansen chocou autoridades. O menino teve suas duas pernas quebradas, sofreu queimaduras, facadas e também estragos físicos no crânio e cérebro, num surto de violência que, de acordo com o tribunal, durou entre 15 e 20 minutos.

Os irmãos foram acusados de espancarem o garoto com uma vara de madeira e uma garrafa, além de o esfaquearem e cometerem o ato de sufocamento com o joelho em cima de seu pescoço, o que lembra a cena do assassinato de George Floyd pela polícia em Minneapolis, nos EUA.

A patologista forense, que ficou responsável pela análise do corpo, admitiu nunca ter trabalhado com um cadáver que apresentasse ferimentos tão graves. Depois de o caso ter sido encerrado pelo tribunal, as autoridades dinamarquesas sofreram críticas da comunidade negra e simpatizantes.

Sabe-se que o irmão mais velho, Mads Moeller, de 26 anos, têm suásticas tatuadas em sua perna. No entanto, uma testemunha negou que ele fosse realmente racista. A promotora Anna Moe, por sua vez, embora acredite que o racismo tenha influência no caso, disse não ser possível provar isso no tribunal. 

Os irmãos alegaram que não tinham intenção de matar, mas que violentaram o colega por que ele "havia feito avanços sexuais para sua mãe."

Acredita-se que um protesto do movimento Black Lives Matter esteja sendo organizado e ocorrerá ainda nesta terça-feira, 1. Os amigos das vítimas, que não acreditam que o crime tenha sido incentivado pelo racismo também estão preparando uma contra-manifestação, segundo anunciou a mídia local.