Notícias » Crimes

Assassino revela que ofereceu carne humana de uma de vítimas para amigo

Vladimir Nikolayev se encontra atualmente em Black Dolphin, na Rússia

Fabio Previdelli Publicado em 24/05/2021, às 13h22

O assassino Vladimir Nikolayev
O assassino Vladimir Nikolayev - Divulgação/Inside: Russia's Toughest Prisions/National Geographic

Preso há quase três décadas, Vladimir Nikolayev é considerado um dos assassinos mais perigosos da Rússia. Por esse motivo, cumpre prisão perpétua em Black Dolphin um dos sistemas carcerários mais bem estruturados do país. 

Recentemente, o documentário “Inside: Russia's Toughest Prisions”, do National Geographic, revelou mais detalhes de seus crimes. Em um deles, ocorrido em 1996, Vladimir teria distribuído carne humana alegando que se tratava de um animal “exótico”. 

Como relata o Daily Star, Nikolayev, agora com 62 anos, teria bebido e se envolvido numa briga, na ocasião do crime. Sobre o fato, o jornal britânico diz que ele se lembra de tudo rindo para as câmeras.  

"Perto do meu prédio estava um cara, também bêbado, que me pediu um isqueiro. Começamos a discutir e a brigar. Ele me bateu e eu bati nele, e acabou que ele morreu. O que eu deveria fazer? Eu o arrastei para o banheiro, tirei sua roupa e comecei a cortá-lo em pedaços", conta o assassino. 

O criminoso ainda revela que teve certa “curiosidade” para provar a carne. “Cortei um pedaço da coxa dele e cozinhei. Experimentei, não gostei. Então, piquei e fritei na frigideira”.  

Além disso, Vladimir relatou que ofereceu outras partes da carne de sua vítima para um amigo, só que disse que se tratava de um canguru. Foi então que esse seu amigo deu o pedaço para sua esposa, que fez bolinhos com a mesma. A verdade só foi descoberta quando o russo foi preso e julgado pelos seus atos.  

O criminoso ainda diz, no documentário, que ele chegou a matar uma outra pessoa e tentou ganhar dinheiro com seu cadáver, vendendo sua carne como algo “exótico”. Entretanto, um cliente acabou suspeitando do produto e o levou para uma análise química, que revelou a verdade. 

Vladimir Nikolayev havia sido condenado à pena de morte, mas teve sua sentença mudada para prisão perpétua, algo que agradou os familiares de suas vítimas, que acreditam que assim ele sofrerá mais pelos crimes que cometeu.