Notícias » Arqueologia

Assentamento desconhecido da Idade do Ferro é encontrado na Inglaterra

Datadas entre 400 a.C. e 100 a.C., as ruínas impressionaram os arqueólogos — que também descobriram uma vila romana no local

Alana Sousa Publicado em 25/02/2021, às 12h00

Imagem do assentamento encontrado na Inglaterra
Imagem do assentamento encontrado na Inglaterra - Divulgação/ DigVentures

Uma investigação arqueológica que teve início em 2018 terminou na última semana, e trouxe consigo uma descoberta importante sobre a Idade do Ferro na Inglaterra. Os resultados das escavações foram divulgados na manhã desta quinta-feira, 25, pela revista Smithsonian.

A pesquisa foi financiada pela plataforma coletiva DigVentures e aconteceu em Oxfordshire, próximo a Londres. Durante quase três anos, os pesquisadores analisaram a extensa área, com o objetivo de, no futuro, auxiliar na construção de uma instituição de caridade ambiental.

Espátula encontrada na vila romana / Crédito: Divulgação/DigVentures 

 

O que eles não esperavam encontrar eram vestígios raros de um assentamento desconhecido da Idade do Ferro. Datados entre 400 a.C. e 100 a.C., havia ao menos ruínas de 15 casas em formato de cone. Além disso, uma vila romana do final do século 3 e início do século 4 também foi localizada.

Chris Casswell, líder das escavações contou ao Smithsonian que a descoberta foi inesperada, levando em consideração um espaço relativamente pequeno para um extenso assentamento. “O que é surpreendente é que quase nada disso apareceu na pesquisa geofísica inicial, provavelmente devido a uma peculiaridade na geologia local. Foi só quando começamos a cavar que pudemos revelar a verdadeira extensão do que está aqui”, afirmou o especialista.

Pote encontrado durante as escavações / Crédito: Divulgação/DigVentures 

 

Medindo entre 7 e 14 metros de diâmetros, as casas alcançavam 10 metros de largura. A construção era feita de estacas de madeira, que eram coladas com argila e até mesmo lama. 

Já sobre a vila romana, as fundações mediam aproximadamente 30 metros de comprimento, e contava ainda com sete colunas para sustentação. Além das ruínas, artefatos como conchas, facas, potes e uma espátula cirúrgica foram descobertas em meio aos vestígios milenares. 

Sobre arqueologia

Descobertas arqueológicas milenares sempre impressionam, pois, além de revelar objetos inestimáveis, elas também, de certa forma, nos ensinam sobre como tal sociedade estudada se desenvolveu e se consolidou ao longo da história. 

Sem dúvida nenhuma, uma das que mais chamam a atenção ainda hoje é a dos egípcios antigos. Permeados por crendices em supostas maldições e pela completa admiração em grandes figuras como Cleópatra e Tutancâmon, o Egito gera curiosidade por ser berço de uma das civilizações que foram uma das bases da história humana e, principalmente, pelos diversos achados de pesquisadores e arqueólogos nas últimas décadas.