Notícias » Arqueologia

Assentamentos mesolíticos revelam 10 mil artefatos da Idade da Pedra na Rússia

Objetos impressionantes, como ferramentas de pedra, facas e pontas de flechas, foram datados de 2 a 10 mil anos

Isabela Barreiros, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 08/09/2021, às 15h35

Artefatos descobertos durante escavações na Rússia
Artefatos descobertos durante escavações na Rússia - Divulgação/Instituto de Arqueologia da Academia Russa de Ciências

Um trabalho de campo realizado por arqueólogos do Instituto de Arqueologia da Academia Russa de Ciências revelou um impressionante número de artefatos que remonta à Idade da Pedra na Rússia, mais especificamente entre 2 a 10 mil anos atrás. As descobertas foram feitas em uma série de assentamentos, como informou a revista Galileu.

Segundo uma nota divulgada pelos especialistas, as escavações foram feitas na região próxima ao rio Velet'ma, antes da construção da rodovia Moscou-Kazan, perto da vila Maloe Okulovo, a 300 km da capital russa. Os assentamentos Maloye Okulovo-11, Maloye Okulovo-19, Maloye Okulovo- 20 e Malookulovskaya- 3 também foram explorados.

Objetos descobertos durante o trabalho de campo / Crédito: Divulgação/Instituto de Arqueologia da Academia Russa de Ciências

 

No sítio Maloye Okulovo-11, por exemplo, os pesquisadores descobriram ossos de grandes animais, facas, brocas, raspadores, machados, pontas de flechas, entre outras ferramentas usadas no passado, provavelmente durante a Idade da Pedra por comunidades de caçadores-coletores, conforme apontado no comunicado. 

No entanto, eles se surpreenderam ao perceber que o local também guardava vasos da Idade do Bronze e cerâmicas da Idade Média. Isso sugeriu que a região pode ter sido ocupada séculos mais tarde por outros grupos humanos, aspecto não imaginado pelos especialistas.

Foram escavados cerca de 10 mil metros quadrados, uma área total que possibilitou uma análise ampla aos estudiosos. Entre ferramentas de pedra e cerâmicas, os artefatos remontavam a um período que demonstra a transição entre o Paleolítico Superior e o Neolítico, especialmente, entre 13 mil e 3 mil a.C.

Pesquisadores no local das escavações / Crédito: Divulgação/Instituto de Arqueologia da Academia Russa de Ciências

 

Os arqueólogos puderam, inclusive, perceber durante as escavações e análise dos artefatos — que contaram com a técnica de de planigrafia, que permite a criação em 3D da estrutura interna de um objeto — a transição entre a indústria da pedra para a fabricação da cerâmica. 

Na nota, eles destacam que “os materiais obtidos durante as escavações permitirão, num futuro próximo, estudar em detalhes as características do planeamento de antigos povoamentos, evidenciar os conjuntos de objetos associados aos vários tipos de atividades econômicas cotidianas dos seus habitantes, bem como reconstruir o seu imediato ambiente natural”.