Notícias » Astronomia

Asteroide ‘potencialmente perigoso’ se aproximará da Terra

A Nasa alertou para a rocha espacial 4660 Nereus, que é maior que a Torre Eiffel, e sua passagem na órbita de nosso planeta

Isabela Barreiros Publicado em 08/12/2021, às 11h20

Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa - Divulgação/Pixabay/urikyo33

A Nasa anunciou que o asteroide 4660 Nereus deve fazer uma passagem próxima da Terra no próximo sábado, dia 11, ao entrar no caminho orbital da Terra. A rocha espacial gigante é considerada “potencialmente perigosa” pela agência espacial americana.

Isso porque qualquer asteroide que tenha mais de 140 metros de comprimento e que chegue a pelo menos 7,48 milhões de quilômetros da Terra entra nessa classificação da Nasa, como relata o UOL.

Com um diâmetro de 330 metros, Nereus está se aproximando a cerca de 23.700 km/h, atualmente a 7,4 milhões de quilômetros do planeta. Para se ter uma ideia, o asteroide é maior que a famosa Torre Eiffel, cartão postal de Paris, na França.

O asteroide 4660 Nereu observado pelo telescópio Arecibo / Crédito: Divulgação/Nasa

 

Ainda assim, a agência estadunidense explica que o objeto celeste deverá passar perto da Terra a uma distância segura, o que não causará impactos no nosso planeta. Espera-se que o asteroide entre na órbita da Terra a uma distância de 3,93 milhões de quilômetros.

Embora o valor possa ser considerado pequeno na escala astronômica, ele equivale a cerca de 10 vezes a distância entre a Terra e a Lua. Os cientistas da Nasa apontam que, assim, é possível observar o fenômeno sem impactos terrestres negativos.

Nereus foi identificado pela primeira vez em 1982 e, desde então, é observado em sua passagem próxima da Terra a cada 10 anos ou mais, por realizar sua órbita ao redor do Sol a cada 1,82 anos ou 663 dias.

No próximo dia 11, a aproximação do asteroide ao planeta será a maior das últimas décadas e ele deverá ser visto dessa forma daqui a 40 anos, em fevereiro de 2060, quando a rocha espacial deve passar a 1,2 milhão de quilômetros da Terra.