Notícias » Moçambique

Ataque de grupo jihadista destrói por completo distrito em Moçambique

Segundo a agência Ecclesia, Macomia, no norte do pais, foi aniquilada ao longo de três dias, resultando em um estado de "barbárie"

Vanessa Centamori Publicado em 09/06/2020, às 10h15

Destruição no Norte de Moçambique
Destruição no Norte de Moçambique - Divulgação

Segundo informações da agência portuguesa Ecclesia, um ataque de um grupo armado jihadista deixou o distrito de Macomia, no Norte de Moçambique, reduzido a cinzas. O relato veio das Irmãs Carmelitas Teresas de São José , que disseram em comunicado que o estado foi de “barbárie”, deixando a zona urbana “totalmente destruída”.

O comunicado com a fala das irmãs foi emitido pela Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS). No informe, a irmã Blanca Nubia Castaño contou que "a maioria das infraestruturas do Estado" foram danificadas. A zona rural também foi devastada. 

O ataque, que ocorreu na madrugada do dia 28 de maio, durou um total de três dias, matando um número de pessoas ainda não divulgado. No dia 4 de junho, as freiras foram à cidade, mesmo que os riscos ainda não tivessem passado. “Decidimos visitar, encorajar e ajudar pelo menos os nossos trabalhadores e as suas famílias”, disse a irmã Castaño.

Por questões de segurança, no entanto, a Missão das Irmãs Carmelitas Teresas retornou no dia 7 de junho, deixando Macomia. Elas trabalham no distrito há 16 anos, sobretudo na área da educação. 

Macomia, no Norte de Moçambique / Crédito: Divulgação 

 

Macomia fica na província de Cabo Delgado. Segundo a Agência Lusa, essa é a província com maior investimento privado na África para a exploração de gás natural. Além disso, é uma região vítima de ataques terroristas desde outubro de 2017. Os episódios são reivindicados há um ano pelo grupo Estado Islâmico.

Estima-se que, até 2019, o saldo dessa jihad tenha sido de pelo menos 300 civis mortos. Muitos cidadãos foram decapitados, dezenas de aldeias apagadas do mapa e milhares de pessoas foram deslocadas.