Notícias » Ásia

Atentado terrorista em hotel de luxo mata 4 pessoas no Paquistão

Embaixador da China estava no local pouco antes da explosão acontecer

Fabio Previdelli Publicado em 22/04/2021, às 10h14

Fogo em frente ao hotel de luxo
Fogo em frente ao hotel de luxo - Divulgação/ Youtube/ Ruptly

Na noite da última quarta-feira, 21, um hotel de luxo na cidade de Quetta, no sudoeste do Paquistão, foi alvo de um atentado terrorista. Segundo informações da Reuters, um carro-bomba explodiu no estacionamento do local, deixando quatro mortos e 11 pessoas feridas, disseram as autoridades.  

O ministro do Interior do Paquistão, Sheikh Rashid Ahmad, informou que o embaixador da China estava hospedado no hotel, porém ele não estava no local quando a ataque aconteceu.  

“Uma explosão abalou o estacionamento do Serena Hotel”, disse à Reuters o policial Nasir Malik, que informou que 11 pessoas ficaram feridas por conta da explosão. Já Waseem Baig, uma autoridade de um hospital civil local, informou que quatro pessoas morreram por conta do atentado e que “várias outras estão em estado crítico”. 

Mais tarde, um repórter da Reuters recebeu uma mensagem de texto de um porta-voz do grupo militante Tehreek-e-Taliban Pakistan (TTP) assumindo a autoria do ataque. "Foi um ataque suicida em que nosso homem-bomba usou seu carro cheio de explosivos no hotel". 

De acordo com informações da agência de notícias, a cidade de Quetta é capital de Baluchistão, uma importante província rica em minerais que há algum tempo é palco da rebelião de grupos nacionalistas, que exigem uma maior participação nos recursos regionais.  

Além disso, a região também abriga o porto de águas profundas Gwadar, expandido recentemente e que é parte fundamental para um investimento de 65 bilhões de dólares no corredor econômico da China’s Belt and Road Initiative. 

Antes disso, conforme explicou a Reuters, o interesse de chineses na região já foi alvo do ataque de militantes do Teleban e de grupos nacionalistas, embora, ainda, não esteja claro se o Embaixador da China ou membros de sua comissão tenham sido o principal alvo do atentado.