Notícias » China

Ativista pró-independência é condenado a quatro meses de prisão em Hong Kong

A sentença, divulgada na última terça-feira, 29, se deu diante de um protesto ocorrido em maio do ano passado

Giovanna Gomes Publicado em 30/12/2020, às 08h20

O jovem ativista foi condenado a 4 meses
O jovem ativista foi condenado a 4 meses - Divulgação

O ativistaTony Chung foi condenado na terça-feira, 29, a quatro meses de prisão em Hong Kong por insultar a bandeira chinesa durante um protesto em maio do ano passado.

Conforme relatado pela BBC, o tribunal apurou que o ex-líder do grupo pró-independência Studentlocalism teria puxado bandeira, quebrado o mastro e a jogado para o alto. O jovem já estava aguardando julgamento por outra acusação de segurança nacional.

O protesto foi um dos primeiros contra o polêmico projeto de extradição elaborado pelo governo de Hong Kong, que acabou sendo engavetado diante do grande número de manifestações populares.

O governo chinês rejeitou as inúmeras críticas em relação à medida, afirmando que ela é necessária para evitar protestos.

Vale lembrar que Chung, também acusado de lavagem de dinheiro e conspiração, foi um dos primeiros a serem presos sob a nova lei, em julho.

Livre, acabou sendo detido mais uma vez em outubro próximo ao consulado dos EUA em Hong Kong. Segundo o grupo ativista Friends of Hong Kong a ideia do jovem era entrar na instituição para pedir asilo.

Agora, ele aguardará julgamento por outras acusações de acordo com a nova lei de segurança nacional da China.