Notícias » Brasil

Atlas da Violência: Assassinato de indígenas aumentou mais de 20% em uma década

Levantamento foi divulgado nesta terça-feira, 31

Fabio Previdelli Publicado em 31/08/2021, às 17h36

Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa - Pixabay

O Atlas da Violência 2021, do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), divulgou, pela primeira vez, dados sobre a violência letal contra os povos indígenas do Brasil. Entre 2009 e 2019, aponta o relatório publicado nesta terça-feira, 31, mais de 2 mil indígenas foram assassinados em nosso território. 

Para se ter uma ideia, durante esse mesmo intervalo de tempo, a taxa de mortes violentas de indígenas aumentou em 21,6% — em 2009 era de 15 por 100 mil indígenas, e os números mais recentes (2019) apontam para 18,3 a cada 100 mil. 

Somente no ano de 2019, por exemplo, foram registrados 277 casos de violência contra indígenas: sendo 113 assassinatos (o número pode ser ainda maior segundo o Atlas, já que houve 35% de aumento de mortes violentas por causa indeterminada) e 20 homicídios culposos. Os números representam o dobro do que foi registrado no ano anterior.  

O índice contrapõe a taxa de assassinatos em geral registrados no país nesta mesma década: que caiu de 27,2 para 21,7 a cada 100 mil habitantes.  

Os dados do Atlas da Violência são levantados através de uma parceria entre o IPEA, o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP)  e o Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN); e possuem como base os números do Sistema de Informação sobre Mortalidade, do Ministério da Saúde.