Notícias » Personagem

Atleta que acreditava namorar supermodelo revela: “Fizemos sexo por telefone”

Roberto Cazzaniga foi vítima de golpe por 15 anos

Fabio Previdelli Publicado em 02/12/2021, às 15h00

O jogador Roberto Cazzaniga
O jogador Roberto Cazzaniga - Arquivo pessoal

Na semana passada, a equipe do site do Aventuras na História noticiou o caso do jogador italiano de vôlei Roberto Cazzaniga que, por 15 anos, foi vítima de um golpe que o fez acreditar que namorava com a supermodelo brasileira Alessandra Ambrósio.

Agora, Cazzaniga fez mais revelações sobre a fraude, chamada de catfishing — um golpe virtual onde uma pessoa diz ser outra para enganar seus alvos emocionalmente. Em certos casos, como o de Roberto, há também o dolo financeiro. Durante todo esse tempo, o esportista deu cerca de R$4,3 milhões de reais para a farsante.

Fizemos sexo por telefone durante anos”, disse aos prantos. A informação foi noticiada pelo portal italiano Casteddu Online. 

“Eu sempre a chamei de amor, nunca ela. Eu tive que insistir e lembrá-la de dizer isso. Ela disse que precisava se conectar a máquinas porque sofria de dores no coração”, completou Roberto Cazzaniga

No último final de semana, conforme aponta matéria do O Globo, o atleta italiano foi convidado por jornalistas do programa Le Iene, o mesmo que revelou a história, para ir até a casa de Valeria — mulher que lhe enganou por todo esse tempo.

Diante da residência da mulher, em Sardenha, ele e os jornalistas gritavam para que Valeria conversasse com o grupo, mas não tiveram respostas. Antes de ir embora, Roberto chegou a deixar um bilhete para a mulher: “Vou esperar você à beira-mar nos fundos da sua casa, para encerrar o assunto para sempre".

Horas depois, sem qualquer tipo de resposta, ele foi embora. “Adeus Maya”, escreveu na areia da praia próxima da residência. Maya era o pseudônimo que Valeria usava para conversar com o jogador. 

Em suas redes sociais, o jornalista Ismaele La Vardera, que acompanhou Roberto durante toda a jornada, escreveu uma mensagem dizendo que, no fim de tudo, Cazzaniga “voltou a sorrir”.

"Quando o seu trabalho permite 'restaurar' a liberdade de alguém, não há nada, e eu não digo nada, que possa valer mais. Foi um grande esforço de equipe, no final o Roberto voltou a sorrir, a se empolgar, ele simplesmente voltou à vida. Boa vida campeão, te desejo tudo de bom", escreveu.


Relembre o caso

Na terça-feira da semana passada, 23, um programa de televisão italiano apresentou o caso do jogador de vôlei Roberto Cazzaniga que, por 15 anos, foi vítima de catfishing — um golpe virtual onde uma pessoa diz ser outra para enganar seus alvos emocionalmente. Em certos casos, como o de Roberto, há também o dolo financeiro

Cazzaniga, que atua por uma equipe da segunda divisão da liga de seu país, mas que já ganhou medalha com a seleção italiana, pensava manter uma relação virtual com a modelo brasileira Alessandra Ambrósio.

Conforme relata o atleta, em 2008, sua amiga, identificada como Manuela, teria lhe passado o contato de uma mulher chamada Maya. Ela, no entanto, dizia que aquele era apenas um pseudônimo, já que na realidade era uma das modelos mais famosas do mundo. 

Não, nós nunca nos conhecemos. Ela deu mil desculpas, como doença e trabalho. E ainda assim me apaixonei por aquela voz, uma chamada após a outra. Os contatos eram apenas pelo celular, quase que diariamente”, relatou ao Corriere della Sera. 

Ao longo de 15 anos de relação virtual, Roberto alega ter transferido cerca de 700 mil euros para Maya — o valor, em conversão atual, passa da casa dos R$ 4,4 milhões.

De acordo com a mídia local, a mulher começou a pedir dinheiro, em um primeiro momento, alegando que sua conta havia sido bloqueada em virtude de uma herança que ela teria que receber. 

Com o passar do tempo, as desculpas para não vê-lo se transformaram em dificuldades de tempo livre em sua agenda e até mesmo um grave problema cardíaco — motivo pelo qual Cazzaniga pediu dinheiro emprestado para amigos e familiares.

Descrito como ingênuo e introvertido, Roberto Cazzaniga só descobriu a verdade após seus familiares desconfiaram da relação. "Um dia ele estava no quarto, no escuro.

Eu o vejo chorar, pergunto o que ele tem e ele me diz que se apaixonou, mas essa mulher está na UTI para fazer uma operação cardíaca", diz Danilo, irmão da vítima. 

Conforme aponta o G1, três pessoas estão sendo investigadas por participar da extorsão: Manuela e seu namorado; além de é uma mulher identificada como Valeria, que tem 50 anos e vive na Sardenha. Ela é apontada como a responsável pelo catfishing.