Notícias » Brasil

Ato bolsonarista em SP registra 125 mil pessoas; o esperado era entre 2 e 3 milhões

Manifestação ocorreu nesta terça-feira, 7, e parece não ter correspondido ao número idealizado

Redação Publicado em 07/09/2021, às 21h19

O ato ocorrido hoje (7)
O ato ocorrido hoje (7) - Divulgação/Vídeo

O ato que reuniu apoiadores de Jair Bolsonaro na Avenida Paulista, em São Paulo nesta terça-feira, 7, teve um número de pessoas abaixo do que era esperado anteriormente.

A manifestação, que contou com pessoas contrárias a existência do STF e favoráveis a mirabolante adoção do voto impresso, contou com 125 mil pessoas, de acordo com a estimativa da Secretaria da Segurança de SP.

Ao se reunirem com a Polícia Militar da cidade, os organizadores do ato chegaram a dizer que previam um número final entre 2 e 3 milhões de pessoas na Paulista, uma capacidade que não bate com a realidade da avenida.

Ou seja, o total do público chega a quase 6% do que fora esperado pela organização do evento. Conforme repercutido pelo portal de notícias UOL, os presentes no ato ocuparam 11 das 15 quadras que formam a famosa avenida de São Paulo.

Ofensas

Durante o ato, o presidente discursou para apoiadores e promoveu ataques direcionados a Alexandre de Moraes, ministro do STF. Bolsonaro disse que não cumprirá o que for determinado por Moraes, algo que fere a Constituição do país. 

"Dizer a vocês, que qualquer decisão do senhor Alexandre de Moraes, esse presidente não mais cumprirá. A paciência do nosso povo já se esgotou, ele tem tempo ainda de pedir o seu boné e ir cuidar da sua vida. Ele, para nós, não existe mais”, afirmou ele durante discurso.

"Ou esse ministro [Alexandre de Moraes] se enquadra ou ele pede para sair. Não se pode admitir que uma pessoa apenas, um homem apenas turve a nossa liberdade. Dizer a esse ministro que ele tem tempo ainda para se redimir, tem tempo ainda de arquivar seus inquéritos. Sai, Alexandre de Moraes. Deixa de ser canalha. Deixa de oprimir o povo brasileiro, deixe de censurar o seu povo. Mais do que isso, nós devemos, sim, porque eu falo em nome de vocês, determinar que todos os presos políticos sejam postos em liberdade", disse Jair, conforme repercutido pelo portal de notícias G1.