Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Meninas Malvadas

Ator de 'Meninas Malvadas' revela que fez sessões para "cura gay"

Ator que interpretou Damian em 'Meninas Malvadas' revela sessões de "terapia de conversão"

Redação Publicado em 29/06/2022, às 19h51

Cena de Damian de 'Meninas Malvadas' - Divulgação/Youtube/Regina George
Cena de Damian de 'Meninas Malvadas' - Divulgação/Youtube/Regina George

Ator que interpretou Damian em 'Meninas Malvadas', revelou em entrevista a Page Six, que se obrigou a passar por "terapia de conversão" para "se tornar heterossexual", cinco anos antes de atuar no filme.

Daniel Franzese, de 44 anos, revelou que "não queria ser gay" por conta de sua fé cristã católica pentecostal. O ator compartilhou também que foi obrigado a se afastar da própria mãe por 2 meses.

Daniel Franzese passou a frequentar um terapeuta de conversão recomendado pelo pastor de sua avó para dar início ao seu processo de "cura gay".

“Fui a sessões de terapia individual com uma pessoa que estava tentando me transformar em heterossexual e me fazer rezar para afastar os gays e alienar todos os meus aliados”, revelou ao Page Six.

Ele contou que acreditava que ser gay não era bom, porque o “mundo ao seu redor” o fez “sentir que ser gay não era bom”. Nas sessões que ocorreram em 1999, quando ele tinha 21 anos, ele contou ao terapeuta que estava com medo.

“Eu estava, tipo, com medo. E [meu terapeuta] ficou tipo, 'Do que você tem medo?' E eu fiquei tipo, 'Tenho medo de ir para o inferno'", disse Franzese. “E ele disse: ‘Você pode ser gay e a segunda vinda de Cristo pode acontecer, e você não vai para o inferno se ama a Deus. Isso não é o que é.'”, finalizou.

Afastado da mãe

O ator contou que foi obrigado a culpar a mãe por sua orientação sexual, precisando se afastar dela por dois meses. A alegação das pessoas a sua volta era de que ela "era muito aberta".

“Eles me disseram para dizer à minha mãe que minha mãe era culpada porque eu estava inclinado a pensamentos bissexuais ou qualquer outra coisa, porque ela era tão aberta. Eles me fizeram 'sair do armário' para minha mãe, que era literalmente minha melhor aliada, e dizer: 'A culpa é sua'”, contou