Notícias » Entretenimento

Ator é acusado de ter planejado crime de ódio do qual teria sido vítima em 2019

Julgamento de Jussie Smollett começou nesta semana nos Estados Unidos

Isabela Barreiros Publicado em 30/11/2021, às 09h31

O ator Jussie Smollett
O ator Jussie Smollett - Getty Images

O atorJussie Smollett é acusado de ter "planejado e participado" do crime de ódio, que teriam envolvido agressões racistas e homofóbicas direcionadas a ele, em 2019. O julgamento sobre o caso foi iniciado nos Estados Unidos na última segunda-feira, 29.

O astro da série “Empire – Fama e Poder” alegou em janeiro de 2019, que foi atacado por dois homens pró-Donald Trump, então presidente dos Estados Unidos, enquanto estava andando pelas ruas de Chicago, e foi ameaçado com insultos de cunho racista e homofóbico.

Segundo a defesa de Smollett, ele é “uma vítima real” de um “crime real”. O ator também nega qualquer irregularidade nas alegações.

No entanto, pouco tempo depois, uma investigação concluiu que Smollett teria pagado dois homens nigerianos cerca de R$ 3.500 para simularem a agressão, que o promotor especial Dan Webb alega ter contado até mesmo com um “ensaio geral”, segundo a BBC.

"Ele disse a eles para usar uma corda para fazer parecer um crime de ódio", explicou Webb, que acrescenta que o ator teria "desenvolvido um plano secreto que faria parecer que realmente houve um crime de ódio que realmente ocorreu contra ele por partidários de Donald Trump".

O objetivo do astro, segundo a investigação, seria alavancar sua carreira e conseguir mais visibilidade na produção em que ele estava participando. Smollett acabou sendo desligado de “Empire” devido à polêmica.

A Prefeitura de Chicago decidiu abrir um processo contra o artista sob alegação de danos e prejuízos, com o intuito de que ele pagasse pelos gastos da investigação policial sobre o caso, cerca de R$ 130 mil. Em fevereiro de 2020, ele foi acusado por envolvimento no ataque.

O julgamento sobre o caso foi iniciado ontem, 29, e pode ser concluído até sexta-feira, 3, ou na próxima semana. Os responsáveis pela agressão deverão se pronunciar em juízo, como relata a agência AFP.