Notícias » Mundo

Autoridades de Hong Kong permitem prática de amarrar crianças a leitos de isolamento

A polêmica ação de restringir os pequenos passou a ser usada durante quarentenas obrigatórias

Ingredi Brunato, sob supervisão de Alana Sousa Publicado em 18/03/2021, às 15h30

Leito ilustrativo de um hospital
Leito ilustrativo de um hospital - Divulgação/ Pixabay

Segundo repercutido pelo UOL nesta quinta-feira, 18, o governo de Hong Kong agora permite que crianças e bebês com covid-19 sejam fisicamente restringidos em seus leitos hospitalares. 

O território asiático adotou medidas rígidas em resposta à pandemia, tal como internações e quarentenas obrigatórias para qualquer um que receba um diagnóstico positivo para coronavírus, ainda que sem apresentar qualquer sintoma. 

O isolamento de duas semanas também é mandatório para todos aqueles que costumam ter contato com o infectado, com essas pessoas, por sua vez, sendo enviadas não para hospitais mas para instalações específicas mantidas pelo governo de Hong Kong. 

Em relação à questão específica de amarrar crianças aos seus leitos durante essas quarentenas, um porta-voz dos hospitais declarou em uma nota divulgada na quarta-feira à noite, 17: "Em geral, o hospital contemplará a aplicação de meios de contenção física apenas em pacientes pediátricos para salvaguardar a segurança e o bem-estar dos pacientes".

Vale destacar que essa prática também depende da autorização dos pais para ser colocada em prática.