Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Rússia

Avião cai na Rússia e único sobrevivente passa 10 dias comendo apenas noodles

Mais lidas: Minerador relata como foi passar pela 'experiência traumática'

Redação Publicado em 05/07/2022, às 07h59 - Atualizado em 10/07/2022, às 07h00

Pavel Krivoshapkin, único sobrevivente de avião que caiu na Rússia - Divulgação/ Redes sociais
Pavel Krivoshapkin, único sobrevivente de avião que caiu na Rússia - Divulgação/ Redes sociais

Sendo o único sobrevivente da queda de um avião, o mineiro Pavel Krivoshapkin, de 36 anos, conseguiu sobreviver por 10 dias em planícies de baixa temperatura na Sibéria, após ter sofrido graves ferimentos.

Com múltiplas fraturas na coluna e uma concussão cerebral, ele viveu se alimentando de pacotes de macarrão instantâneo que encontrou em uma pequena cabana abandonada, usada ocasionalmente por pastores de renas.

Segundo o UOL, o avião monomotor Antonov An-2 sofreu com falhas no motor até explodir e cair no dia 21 de junho. O piloto e copiloto foram queimados vivos depois que a aeronave colidiu contra uma encosta. Krivoshapkin era o terceiro passageiro da aeronave e foi o único a sobreviver ao impacto.

Pavel é um minerador cujo trabalho é realizar a obstrução de prata. Ele estava a caminho de mais um grande projeto quando o acidente aconteceu, ficando desaparecido até o dia 1 de julho, na vasta região de Yakutia, na Rússia, uma área infestada de ursos marrons e lobos. Depois que foi encontrado pelos oficiais locais, foi de imediato encaminhado para um hospital, onde deu mais detalhes sobre o trauma que passou.

"Quando recobrei os sentidos, tudo ao meu redor estava cheio de fumaça", disse ele ao canal de notícias internacional Russia 24. "Para conseguir sair do avião, eu quebrei a fechadura da porta".

Motivos para ser o único sobrevivente

O mineiro acredita que só sobreviveu ao impacto por estar na parte de trás da nave, a qual não foi completamente destroçada devido à maneira como aconteceu a queda, com a parte da frente mais inclinada ao solo do que o final.

Ao se arrastar procurando uma forma de se aquecer pelas baixas temperaturas no país, ele avistou uma cabana abandonada e quando chegou lá, rapidamente avistou vários pacotes de macarrão Doshirak (uma marca de macarrão instantâneo sul-coreano). Foi esse alimento que o manteve vivo durante os dez dias que se seguiram até a chegada de um grupo de resgate.

"Eles [os pacotes de macarrão] me salvaram da fome severa - mesmo que eu não quisesse comer tanto, porque meu corpo estava machucado e doendo muito. Eu estava morrendo de fome, mas quase não tinha apetite", relembrou.

Depois de 10 dias, equipes de resgates em um helicóptero encontraram os destroços do avião e os corpos carbonizados dos dois pilotos no distrito de Kobyaysky, em Yakutia. Depois de quase 2 horas, finalmente acharam Krivoshapkin e o levaram a um hospital na cidade de Yakutsk, onde está até o momento.