Notícias » Reino Animal

Baleia ‘mais solitária do mundo’ bate cabeça em tanque repetidamente e indigna ativistas

Vídeo da orca Kiska foi feito no último dia 4 e repercutiu nas redes sociais

Isabela Barreiros, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 16/09/2021, às 09h38

Registro da baleia Kiska
Registro da baleia Kiska - Divulgação/Instagram/@walrus_whisperer

Ativistas ao redor do mundo se revoltaram com um vídeo publicado pelo militante Phil Demers que registrava a orca Kiska, conhecida como a "baleia mais solitária do mundo" pelo Projeto Santuário de Baleias, segundo o UOL. 

Kiska, que está em cativeiro desde 1979, segundo o Orca Rescues Foundation, é vista se debatendo dentro do seu tanque no parque de diversões MarineLand, no Canadá. Ela bate a cabeça repetidamente no vidro do tanque. 

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Phil Demers (@walrus_whisperer)

 

"Este vídeo foi feito em 4 de setembro de 2021. Ativistas anticativeiro entraram em MarineLand e observaram Kiska, sua última orca sobrevivente, batendo com a cabeça na parede. Por favor, assista e compartilhe. Esta crueldade deve ter fim. #FreeKiska", escreveu Demers.

De acordo com o ativista Rob Lott, que falou sobre o caso ao portal iNews, a baleia está extremamente estressada, o que não é surpresa depois de tudo que ela passou; afinal, em 40 anos de cativeiro, ela perdeu cinco filhotes e viveu totalmente isolada de outros animais de sua espécie.

"Infelizmente, não é um caso isolado, e o comportamento autoinfligido repetitivo mostrado por Kiska foi visto em outras orcas cativas em que anos de tédio em tanques estéreis e inexpressivos, com pouco ou nenhum estímulo, se manifestam dessa forma", explicou.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Elizabeth Viola (@oceanic.elizabeth)

 

Esse não foi o único vídeo feito de Kiska que mostra seu comportamento anormal para a espécie, desenvolvido devido ao cativeiro e vida em ambiente artificial. A ativista Elizabeth Viola também publicou outra gravação e escreveu: “Quando ela não está nadando lentamente em círculos, fica assim, apenas boiando”.