Notícias » Era Viking

Barcos vikings usados em rituais funerários são encontrados na Suécia

Restos mortais de um homem, um cão e um cavalo foram encontrados em uma das embarcações

Letícia Yazbek Publicado em 10/07/2019, às 13h00

None
- The Archaeologists

Arqueólogos encontraram dois barcos em Uppsala, na Suécia, que eram utilizados em rituais funerários vikings. Uma das embarcações estava muito bem preservada e abrigava os restos de um homem, um cachorro e um cavalo.

A descoberta ocorreu durante a escavação de um lote de terra marcado para abrigar um novo prédio da Igreja de Gamla Uppsala.

Durante toda a era Viking, de 800 d.C a 1050 d.C., essa civilização teve o costume de colocar os mortos — principalmente pessoas poderosas, membros da elite — em barcos carregados de sacrifícios e oferendas como animais, armas e tesouros. No entanto, essa prática já era utilizada na Idade do Ferro, de 550 d.C. a 800 d.C..

Local onde os barcos foram encontrados / Crédito: The Archaeologists

 

Os restos do cão e do cavalo estavam aninhados na proa do barco, enquanto o esqueleto do homem foi encontrado na popa. Segundo Johan Anund, gerente regional da organização The Archaeologists, os animais podem ter sido sacrificados para ajudar o morto em sua vida após a morte. Por outro lado, é possível que eles tenham sido colocados no barco apenas como símbolo de status e poder do homem.

Os arqueólogos ainda não sabem muito sobre o homem. A análise do esqueleto irá revelar quantos anos ele tinha, quão alto era e se sofreu com algum ferimento ou doença. De acordo com Anund, a equipe pode descobrir até mesmo onde o indivíduo cresceu e viveu durante a maior parte de sua vida.

Restos mortais de um cavalo, encontrados em um dos barcos / Crédito: The Archaeologists

 

Outros itens também foram encontrados no barco — uma espada, uma lança, um escudo, um pente ornamentado e restos de pregos e madeiras que provavelmente foram usados em sua construção.

O segundo barco encontrado foi muito danificado — os especialistas acreditam que isso aconteceu porque, no século 16, uma adega foi construída sobre ele. Alguns ossos humanos e de animais foram encontrados na embarcação, mas, segundo Anund, eles parecem ter sido movimentados, o que dificulta o trabalho dos arqueólogos.

Alguns dos achados serão exibidos no museu Gamla Uppsala e no Museu de História Sueca, em Estocolmo.