Notícias » Entretenimento

BBB relembra a importância histórica do cabelo black power: 'Símbolo de luta'

Tiago Leifert aproveitou a projeção nacional da atração para conversar sobre a pauta racial iniciada pelos participantes João e Rodolffo

Wallacy Ferrari, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 07/04/2021, às 10h03

Tiago Leifert durante discurso na noite de ontem, 6
Tiago Leifert durante discurso na noite de ontem, 6 - Divulgação / TV Globo

O apresentador Tiago Leifert aproveitou um espaço de liderança na audiência do Big Brother Brasil 21, como noticiou o portal TV Foco, para reabrir um debate racial iniciado no sábado, 3, pelos participantes João e Rodolffo; amplamente comentado em redes sociais, Rodolffo recebeu uma fantasia de homem das cavernas para o cumprimento da prova do monstro.

Contudo, a peruca cedida pela produção foi alvo de comparação com o cabelo do colega de jogo, sendo debatida por João durante o “Jogo da Discórdia”, na segunda-feira, 5. Na ocasião, o participante chorou ao vivo ao revelar a mágoa pelo tom pejorativo da comparação, iniciando um mal-estar entre os dois participantes.

Na noite da última terça-feira, 6, Leifert decidiu dar um ponto final e revelar para os internos que o assunto estava sendo pautado no Brasil dada a importância histórica da relação: “Eu não vejo maldade no que você fez e, ao mesmo tempo, legitimo a dor do João. Porque tem milhares de meninos e meninas pretos e pretas que sentem a dor que o João sentiu”.

Participante João (esq.) e Rodolffo usando peruca de fantasia (dir.) / Crédito: Divulgação / TV Globo

 

Reafirmando que a conversa era “de branco para branco”, o apresentador fez questão de explicar a relação racial ao Rodolffo, que anteriormente havia se considerado ignorante e chucro: “Meu cabelo também não é liso. [...] Eu não tô nem aí pro meu penteado, se meu cabelo tá caindo. Um cabelo black power que é o cabelo do João não é um penteado, é mais que um penteado, é um símbolo de luta, de resistência. Foi o que os pretos americanos usaram como símbolo antirracista”.

“Eles vestiram o black power para mostrar que eles se aceitavam, se amavam. Porque até pouquíssimo tempo atrás, uma pessoa como o João, lá nos Estados Unidos — tô falando do país mais livre do mundo — tinha que levantar do banco pra um branco sentar. Não podia ir em um restaurante. Então historicamente, o cabelo do João foi associado a uma coisa errada, uma coisa suja, uma coisa feia”, acrescentou Leifert.

Ainda naquela noite, o apresentador anunciou o resultado do paredão, que havia sido formado e disponível para votação desde o domingo de Páscoa, 4, com o participante Rodolffo sendo eliminado com 50,48% dos votos, garantindo a permanência dos colegas Caio e Gilberto por mais uma semana de confinamento, como informou o portal G1.