Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Bebê Rena

Bebê Rena: Martha da vida real também perseguiu político com e-mails

Além de Richard Gadd, a mulher apontada como Martha da vida real também enviou e-mails afrontosos para político britânico: 'Sua vida não valerá a pena ser vivida'

Fabio Previdelli

por Fabio Previdelli

fprevidelli_colab@caras.com.br

Publicado em 20/05/2024, às 12h39 - Atualizado em 21/05/2024, às 15h26

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Fiona Harvey em entrevista (à esqu.) e Martha de "Bebê Rena" (à dir.) - Reprodução/Vídeo e Divulgação/Netflix
Fiona Harvey em entrevista (à esqu.) e Martha de "Bebê Rena" (à dir.) - Reprodução/Vídeo e Divulgação/Netflix

Apontada como a verdadeira Martha, de 'Bebê Rena', Fiona Harvey teria perseguido outra pessoa além do comediante Richard Gadd — que conta sua história na série que se tornou sucesso mundial na Netflix

+ Bebê Rena: Veja 5 revelações da Martha da vida real em entrevista

Segundo relatado pelo The Sun, Harvey é acusada de enviar, pelo menos, 276 e-mail para o líder do Partido Trabalhista do Reino Unido Keir Starmer. As mensagens foram enviadas em um espaço de oito meses em 2020. Em algumas, Fiona usou calúnias para atacar a esposa de Starmer e se vangloriou de dois de seus parentes mortos. 

Fiona Harvey disse ao líder trabalhista que ele estava num "não emprego", e que ele era um "garotinho estúpido" e um "advogado inútil". Assim como mostrado na série da Netflix, a stalker também tinha um estilo característico de escrita: cheio de pontuações e erros ortográficos, com diversos espaços entre as frases e todas elas com a mensagem 'enviado do meu iPhone' — embora a mulher não tivesse o aparelho e enviasse os e-mails de seu computador. 

As mensagens

Segundo o Sun, muitas das mensagens incluem ataques cruéis ao líder do Partido Trabalhista e reclamações por conta da situação de seu quarteirão e da região onde morava. Afinal, Keir é representante dos distritos de Holborn e St Pancras desde 2015 — que são vizinhos de Kilburn, onde Harvey morou em 2020.

E em uma mensagem, em 20 de maio de 2020, ela anexou fotos de lixo e escreveu: "É tão imundo quanto a casa dos Starmers". No mesmo dia, ela atacou a esposa de Keir, Victoria, dizendo: "Deus, ela está horrível. Terrível" e enviou um e-mail ao líder do Partido Trabalhista atacando seus entes queridos falecidos.

Dois dias antes, ela encaminhou para Starmer uma mensagem de um vereador que lhe disse que não poderia fornecer os endereços que ela havia solicitado, por razões de proteção de dados. Foi então que ela ameaçou Keir

"Você é eleito líder de. Não partidário e em dois minutos recebo um e-mail me chamando de racista do ombudsman da habitação. Já reclamei de você para o comissário de normas que adivinha o que… também não faz nada. Veja, de agora em diante vou reclamar por qualquer coisinha".

Sua vida não valerá a pena ser vivida", completou.

A mulher também enviou e-mail para funcionários do Conselho Municipal de Londres, vereadores e a parlamentar Tulip Siddiq, representante dos distritos de Hampstead e Kilburn; relatou o The Sun. 

Fiona Harvey ainda, supostamente, teria enviado um e-mail de 1.420 palavras para Keir Starmer no qual ela diz que o gabinete paralelo do Partido Trabalhista está "cheio de imbecis".