Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Energia

Berlim elabora torre térmica temendo corte de fornecimento de gás

Berlim está construindo maior instalação para armazenamento de energia da Europa

Luisa Alves, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 04/07/2022, às 19h35

Imagem ilustrativa de elevadores de Berlim - Foto de  Markus Christ no Pixabay
Imagem ilustrativa de elevadores de Berlim - Foto de Markus Christ no Pixabay

Temendo o corte no fornecimento de gás pela Rússia, Berlim está construindo o maior reservatório para armazenamento de energia da Europa. A torre gigante tem o objetivo de aquecer as casas durante o período de inverno.

A torre com 45 metros de altura e capacidade de 56 milhões de litros, usará energia elétrica de usinas eólicas e solares. Segundo informações do G1, quando a eletricidade excede sua demanda, as turbinas eólicas precisam ser desligadas, mas essa energia ainda pode ser utilizada e agora esse calor será armazenado.

A instalação está sendo construída às margens do rio Spree, em Berlim. Ela deverá funcionar como uma garrafa térmica, armazenando a água em temperatura próxima ao estado de ebulição e pode manter a água quente por até 13 horas para compensar períodos de pouco sol ou vento.

Se comparada a outras partes da Alemanha, Berlim é mais dependente dos combustíveis fósseis russos devido à sua geolocalização. A capital teve de reduzir o uso de gás natural como resultado da guerra na Ucrânia e da crise energética. Como retaliação às sanções ocidentais, a Rússia reduz o fluxo de gás através dos principais gasodutos.

O governo alemão apela para a economia de energia pela população. E de acordo com a Associação Alemã das Indústrias de Energia e Água (BDEW), o consumo de gás caiu 14,3% nos primeiros cinco meses de 2022 em comparação ao ano anterior. A nova instalação terá capacidade térmica de 200 megawatts.

Novas alternativas 

Há mais de um século, o sistema para aquecimento de Berlim é alimentado por carvão, gás ou resíduos. Entretanto, esse sistema não é projetado para o armazenamento de quantidades significativas de calor e além disso, através da queima de todo o combustível fóssil de que necessitam, contribuem para emissões de gases do efeito estufa.

Agora, como uma melhor alternativa contra o aquecimento global, será utilizada eletricidade de usinas eólicas e solares. E fontes de calor extraídas de águas residuais, também poderão ser aproveitadas na instalação.