Notícias » Itália

Biblioteca de Umberto Eco tem futuro decidido por governo italiano

Quase cinco anos depois da morte do autor, a divisão da coleção de livros de Eco foi aprovada

Isabela Barreiros, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 03/02/2021, às 13h32

O autor Umberto Eco
O autor Umberto Eco - Wikimedia Commons

O governo da Itália e os herdeiros de Umberto Eco finalmente conseguiram definir o futuro da enorme coleção de livros reunida pelo autor durante sua vida. A decisão aconteceu quase cinco anos após a morte do escritor, que aconteceu em 19 de fevereiro de 2016. As informações são da Ansa, com divulgação do Estadão.

A biblioteca de Eco será dividida entre duas instituições: a coleção de livros antigos de Eco será adquirida pela Biblioteca Nacional Braidense, instituição do Estado em Milão, e os livros mais modernos, inclusive arquivos do escritor, ficarão na Universidade de Bolonha por 90 anos.

"A Biblioteca Braidense está entusiasmada com o fato de a herança de Eco ser colocada ao lado de sua coleção de livros raros e está agradecida ao Estado pela aquisição", afirmou James Bradburne, diretor da Pinacoteca de Brera, gestora da biblioteca. 

O Tribunal de Contas italiano foi responsável pelo acordo que dividiu a coleção de livros de Eco. 1,2 mil livros que datam de antes do século 20 foram aquisições de uma das principais bibliotecas estaduais da Itália, enquanto os volumes modernos serão entregues em comodato à melhor universidade pública do país.

Além de ser a melhor universidade de grande porte da Itália, a Universidade de Bolonha também teve o autor como professor emérito no passado, sendo essa designação também uma homenagem.