Notícias » Estados Unidos

Biden acelera data de vacinação para toda população adulta dos EUA

De acordo com o presidente, em meados de abril a vacina contra a Covid-19 estará disponível para os adultos nos postos de vacinação do país

Penélope Coelho Publicado em 07/04/2021, às 07h50

Joe Biden, presidente dos EUA
Joe Biden, presidente dos EUA - Getty Images

De acordo com informações publicadas pelo G1, na última terça-feira, 6, o presidente dos Estados Unidos,Joe Biden, acelerou mais uma vez a meta para que adultos sejam vacinados contra a Covid-19 nos EUA.

Segundo revelado na publicação, a data inicial para a imunização dos adultos estava prevista para o fim do próximo mês, depois a previsão mudou para o início de maio e agora foi anunciada para iniciar já no dia 19 de abril.

Biden afirma que as doses já estarão disponíveis para toda a população adulta do país a partir dessa data, já que a meta inicial de aplicação de 100 milhões de doses foi cumprida antes do prazo previsto.

De acordo com informações publicadas no último domingo, 4, pelo jornal El País, atualmente cerca de 101,8 milhões de pessoas já receberam pelo menos uma dose da vacina contra o novo coronavírus nos EUA.

Sabe-se que a vacinação está acelerada no país, contudo, o presidente norte-americano reitera que ainda há um longo caminho pela frente: “Não estamos na linha de chegada. Ainda temos muito trabalho a fazer. Ainda estamos em uma corrida de vida ou morte", afirmou Biden durante uma entrevista coletiva na Casa Branca.

Sobre a Covid-19

De acordo com as últimas informações divulgadas pelos órgãos de saúde, atualmente, o Brasil registra 13,1 milhões de pessoas infectadas, e as mortes em decorrência da doença já chegam em 337 mil no país.  

Em 1º de dezembro de 2019, o primeiro paciente apresentava sintomas do novo coronavírus em Wuhan, epicentro da doença na China, apontou um estudo publicado na revista científica The Lancet em fevereiro deste ano.  

De lá pra cá, a doença já infectou 132 milhões de pessoas ao redor do mundo, totalizando mais de 2,87 milhões de mortes, sendo mais de 556 mil delas nos EUA.