Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Ucrânia

Biden critica Putin após início de 'operação' na Ucrânia: 'Perda catastrófica de vidas e sofrimento'

De acordo com a Fox News, o presidente dos EUA se manifestou através de um comunicado

Redação Publicado em 24/02/2022, às 01h00

Putin e Biden em 2021 - Getty Images
Putin e Biden em 2021 - Getty Images

Joe Biden, atual presidente dos EUA, se manifestou após a Rússia iniciar o que chamou de 'operação militar especial' na Ucrânia nesta quinta-feira, 24. 

Ao saber do anúncio, Biden se manifestou a respeito do episódio, conforme repercutido pela Fox News. 

"As orações de todo o mundo estão com o povo da Ucrânia esta noite, que sofre um ataque não provocado e injustificado das forças militares russas", afirmou Biden.

Em seguida, ele critica a escolha de Putin em iniciar uma 'guerra premeditada'. 

“O presidente Putin escolheu uma guerra premeditada que trará uma perda catastrófica de vidas e sofrimento humano. O mundo responsabilizará a Rússia", continua o presidente dos EUA.

"Estarei monitorando a situação da Casa Branca esta noite e continuarei recebendo atualizações regulares de minha equipe de segurança nacional. Amanhã, me encontrarei com meus colegas do G7 pela manhã e depois falarei com o povo americano para anunciar as consequências futuras. os Estados Unidos e os nossos Aliados e parceiros irão impor à Rússia este ato desnecessário de agressão contra a Ucrânia e a paz e segurança globais. , Jill e eu estamos orando pelo corajoso e orgulhoso povo da Ucrânia", finaliza Biden, segundo o veículo internacional.

A 'operação'

Ainda de acordo com a Fox News, nesta quinta-feira, 24, o presidente russo Vladimir Putin iniciou o que foi decretado como uma 'operação militar especial' da Rússia na Ucrânia.

"Tomei a decisão de conduzir uma operação militar especial. Nossa análise concluiu que nosso confronto com essas forças (ucranianas) é inevitável", afirmou ele.

Em seguida, o presidente mandou um recado para as nações que pensarem em intervir na situação. 

"(...) Algumas palavras para aqueles que seriam tentados a intervir: a Rússia responderá imediatamente e você terá consequências que nunca teve antes em sua história", disse ele.