Notícias » Estados Unidos

Biden informa que deve finalizar missão militar no Afeganistão até o final do mês

O presidente dos Estados Unidos afirmou que pode prorrogar o prazo, mas, tem esperanças de que isso não aconteça

Penélope Coelho Publicado em 23/08/2021, às 07h20

Joe Biden, presidente dos EUA
Joe Biden, presidente dos EUA - Getty Images

De acordo com informações da agência de notícias AFP, publicadas na noite do último domingo, 22, pelo UOL, o presidente norte-americano, Joe Biden, de 78 anos, anunciou que espera concluir a retirada completa do Afeganistão até o último dia do mês de agosto.

Em coletiva de imprensa realizada na Casa Branca, o democrata não fechou as portas para uma possível prorrogação do prazo. Ao responder a pergunta de um jornalista sobre líderes estrangeiros pedirem mais tempo aos EUA, o presidente respondeu: “veremos o que podemos fazer”. Contudo, afirmou que tem “esperança” de cumprir a data prevista.

Segundo Biden, até o último domingo um total de 28 mil pessoas foram evacuadas do Afeganistão: “É uma operação incrível. Estamos trabalhando duro e o mais rapidamente possível para retirar as pessoas", afirmou.

Sem dar mais detalhes sobre o procedimento, o democrata informou que a operação teria sido “difícil e dolorosa" mesmo se tivesse começado no mês anterior: “Fizemos uma série de mudanças, incluindo a ampliação do acesso ao aeroporto e à zona de segurança”, disse o presidente.

Sabe-se que atualmente, desde que o grupo terrorista Talibã tomou o controle da capital do país, Cabul, o Afeganistão vive momentos de tensão em meio aos conflitos, que atingem principalmente a população afegã.


Caos no Afeganistão

O caos ocorrido no Afeganistão tem como consequência a retirada das tropas norte-americanas do país, através de um 'acordo de paz' iniciado por Donald Trump em 2020. Após o ato concretizado por Joe Biden, atual presidente dos EUA, o Talibã começou a avançar no país. 

O ato que representou de fato a tomada de poder se deu no último domingo, 15, quando os representantes do grupo extremista tomaram o palácio presidencial, localizado em Cabul. Isso ocorreu após o presidente do país, Ashraf Ghani, deixou o país em decorrência dos últimos acontecimentos. 

Joe Biden informou que não se arrepende de ter retirado as tropas do local. "Eu mantenho com firmeza minha posição", disse o presidente durante pronunciamento exibido pela Casa Branca na última segunda-feira, 16. "Os EUA não podem participar e morrer em uma guerra em que nem o próprio Afeganistão está disposto a lutar", explica Biden