Notícias » Estados Unidos

Biden solicita que o Congresso promova uma reforma para limitar a venda de armas de fogo nos EUA

“Este governo não vai esperar pelo próximo tiroteio em massa”, disse o presidente norte-americano no último domingo, 14

Giovanna Gomes, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 15/02/2021, às 09h00

Joe Biden, o presidente dos EUA
Joe Biden, o presidente dos EUA - Wikimedia Commons

No último domingo, 14, o presidente norte-americano Joe Biden deu início a um processo que pode alterar o processo de obtenção de armas de fogo no país. De acordo com a UOL, o político solicitou ao Congresso que “promova reformas de bom senso em relação às armas” e declarou que é necessário investigar os antecedentes de cada pessoa que deseja comprar uma.

Biden ainda pediu que seja proibida a venda de fuzis de guerra e cartuchos com grande número de munições, defendendo o "fim da imunidade" dos fabricantes que "conscientemente colocam armas de guerra em nossas ruas".

“Este governo não vai esperar pelo próximo tiroteio em massa”, disse o presidente, que atendeu aos pedidos de muitos norte-americanos.

Três anos antes, na mesma data do comunicado, ocorreu um dos mais recentes ataques a uma escola nos EUA. Na ocasião, 17 pessoas foram mortas por um jovem de 19 anos. Nikolas Cruz possuía uma série de problemas psiquiátricos, mas seu histórico não foi um impedimento para que ele comprasse um fuzil de assalto semiautomático.

Desde que ocorrera o atentado, pais e alunos da escola Marjory Stoneman Douglas, localizada em Parkland, começaram a realizar manifestações para que houvesse um controle mais rígido da venda de armas. Contudo, o então presidente Donald Trump nada fizera.

Sobre o Joe Biden 

No dia 7 de novembro, a projeção da agência Associated Press confirmou que o candidato democrata Joe Biden conseguiu atingir 274 delegados — 4 a mais do que o necessário —, sendo eleito o 46º presidente dos Estados Unidos. O presidenciável disputava a vaga contra o republicano Donald Trump, que buscava a reeleição. 

O anúncio da vitória ocorreu após o término da apuração no estado da Pensilvânia. Biden também venceu na contagem de votos totais, com mais de 4 milhões de votos. Veículos como a CNN, The New York Times e NBC também apontaram a vitória do democrata.

Joe Biden não apenas será responsável por tirar o título do ex-apresentador de ‘O Aprendiz’, como também baterá um recorde do antecessor: Será o mais velho a assumir o cargo de presidente dos Estados Unidos. Trump já havia declarado vitória no dia 4 de novembro, antes mesmo do encerramento da apuração.

Formado em história, ciência política e direito, Biden atuou por algum tempo como advogado antes ir para a área da política. Ele foi um senador bem-sucedido, certa vez tendo até seis mandatos consecutivos. 

As duas últimas vezes que tentou concorrer à presidência, não teve sucesso. Foi nessa segunda tentativa, inclusive, que ele se aproximou de Barack Obama, e os dois políticos acabaram formando a chapa que venceu as eleições de 2008 nos Estados Unidos. Biden foi o vice de Obama durante seus dois mandatos.