Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Bolsonarista

Bolsonarista que invadiu festa e matou petista tem prisão preventiva decretada

O bolsonarista Jorge José da Rocha Guaranho matou Marcelo Arruda, guarda municipal e filiado ao PT, no último sábado, 9

Redação Publicado em 11/07/2022, às 13h10

Imagem de Marcelo Arruda, vítima do bolsonarista - Reprodução/Redes Sociais
Imagem de Marcelo Arruda, vítima do bolsonarista - Reprodução/Redes Sociais

Jorge José da Rocha Guaranho, bolsonarista e agente penitenciário que matou Marcelo Arruda, guarda municipal e filiado ao PT, no último sábado, 9, teve sua prisão decretada nesta segunda-feira, 11, conforme repercutido pelo Ministério Público do Paraná.

Jorge tirou a vida de Marcelo ao invadir a sua festa em Foz do Iguaçu. Ele comemorava os 50 anos e tinha como tema o Partido dos Trabalhadores e o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva. 

Testemunhas presentes no local disseram que Jorge entrou aos gritos no local dizendo 'Aqui é Bolsonaro' e que mataria todos os presentes na comemoração. Tiago Lisboa, promotor, disse em coletiva que o pedido para trocar a prisão em flagrante para prisão preventiva foi aceita ainda no último domingo, 10, por um juiz que estava em plantão.

Ao disparar contra Marcelo Arruda, o agente penitenciário também foi atingido pela vítima, que segundo as testemunhas, poderia causar mais mortes. Com isso, Jorge Josése encontra internado em estado grave, conforme dito pelo promotor.

Filho de petista se manifesta

Em entrevista ao O Globo, Leonardo, filho do guarda municipal, relembrou os momentos de horror durante a festa. Ele disse que ninguém conhecia o invasor, que entrou no local tomado pelo ódio.

Além disso, o filho de Marcelo também enfatizou que pelas atitudes de Jorge, ele parecia querer 'matar todo mundo'. 

"O bolsonarista apareceu do nada. Ninguém conhecia ele. Ele gritava que ia matar todos os petistas, gritava palavras de ordem e ‘“aqui é Bolsonaro”. Ele chegou a apontar a arma pela primeira vez para o meu pai. A esposa dele tentou evitar que ele fizesse um primeiro disparo. Ele prometeu que ele ia voltar, e ele voltou logo depois já atirando. Ele acertou três tiros no meu pai. Pelo ódio dele, parecia que ia matar todo mundo. Mas meu pai conseguiu evitar o pior, antes de morrer", disse ele. 

++Leia a matéria completa aqui.