Notícias » Brasil

Bolsonaro convida Michel Temer para chefiar missão de ajuda em Beirute

Filho de libaneses, o ex-presidente deve solicitar autorização da Justiça para sair do Brasil após ser liberado de prisão na Operação Lava-Jato

Wallacy Ferrari Publicado em 10/08/2020, às 08h40

Michel Temer e Jair Bolsonaro caminham na rampa do Congresso Nacional durante posse
Michel Temer e Jair Bolsonaro caminham na rampa do Congresso Nacional durante posse - Agência Senado

Durante uma videoconferência internacional entre líderes políticos, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) anunciou que estará enviando uma equipe multidisciplinar para auxiliar nas investigações e amparo na comunidade de Beirute, em decorrência da forte explosão de seu porto. Para chefiar a missão, o presidente terá Michel Temer como “seu enviado especial”.

Antecessor no cargo de Bolsonaro, o ex-presidente é filho de libaneses e afirmou, em nota à imprensa, que está honrado com o convite: "Quando o ato for publicado no Diário Oficial da União serão tomadas as medidas necessárias para viabilizar a tarefa”. Temer manifestou o interesse em realizar a expedição, mas conta com um empecilho.

Acusado de desvio de dinheiro público em obras da unida nuclear de Angra 3, o ex-presidente esteve preso preventivamente entre os dias 9 e 15 de maio de 2019, após se tornar réu da Operação Lava Jato. Temer foi liberado pelo Supremo Tribunal de Justiça com a condição da entrega de seu passaporte.

Desde então, o emedebista precisa solicitar autorização da Justiça para se deslocar do país; em outubro do ano passado, chegou a ter uma viagem negada para um evento na Oxford Union, na Inglaterra, pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio. O ex-presidente recorreu, sendo autorizado posteriomente pelo TRF-2 a realizar a conferência.