Notícias » Brasil

‘Bolsonaro exercerá suas funções normalmente’, diz Mourão

Vice-presidente falou sobre o estado de saúde do chefe de Estado Brasileiro

Fabio Previdelli Publicado em 03/01/2022, às 19h00

Jair Bolsonaro, presidente do Brasil
Jair Bolsonaro, presidente do Brasil - Getty Images

Após o presidente Jair Bolsonaro ser internado com uma obstrução intestinal, o vice-presidente Hamilton Mourão declarou que a necessidade médica do mandatário brasileiro não o impedirá de prosseguir com suas funções.

Julgo que continuará a exercer suas funções normalmente", disse Mourão ao UOL. 

Primeira autoridade na ausência de Bolsonaro, o vice-presidente voltará para Brasília ainda nesta segunda-feira, 3. Hamilton Mourão esteve na Base Naval de Aratu, em Salvador, na última semana, onde passou o Ano Novo com seus familiares. 

Ainda não existe uma previsão para que Bolsonaro receba alta e o governo ainda não apontou se o presidente se licenciará do cargo interinamente ou não. Caso isso aconteça, Mourão assumirá a presidência até que Jair Bolsonaro retome suas atividades.


Bolsonaro dá entrada em posto médico do Planalto

Na madrugada desta segunda-feira, 3, o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, interrompeu suas férias no litoral de Santa Catarina e desembarcou em São Paulo.

O recesso do presidente foi alvo de críticas, em decorrência da situação da Bahia, que sofre com as fortes chuvas. Bolsonaro foi criticado por não interromper as férias para acompanhar o caso.

De acordo com informações publicadas pelo g1, por volta da 1h da manhã, o político foi levado ao Hospital Vila Nova Star, localizado no bairro paulistano da Vila Nova Conceição. O presidente reclamou de dores abdominais.

Em uma nota divulgada na manhã de hoje, a Secretaria Especial de Comunicação da Presidência (Secom), confirmou que Bolsonaro está com obstrução abdominal novamente e não tem previsão de alta.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Jair M. Bolsonaro (@jairmessiasbolsonaro)

 

Antônio Luiz Macedo, o médico que acompanha o quadro desde que o presidente foi alvo de uma facada, em 2018, está fora do Brasil e irá voltar ao país para avaliar a atual situação.

Segundo revelado na publicação, Macedo acredita que Bolsonaro não precisará passar por uma nova cirurgia. Desde o episódio, o político já passou por quatro procedimentos cirúrgicos.