Notícias » Brasil

Bolsonaro minimiza coronavírus e diz que sociedade foi enganada por governadores e mídia

Segundo o presidente, as críticas proferidas contra o seu governo a despeito da pandemia são decorrentes do desejo de tirá-lo do cargo

Gabriel Fagundes Publicado em 23/03/2020, às 09h10

Para Bolsonaro, os governadores e a grande mídia estão de olho no seu cargo para destituí-lo
Para Bolsonaro, os governadores e a grande mídia estão de olho no seu cargo para destituí-lo - Wikimedia Commons

Como se todas as mortes ocorridas em diversos países do mundo afora não fossem suficientes, como se o estado de quarentena imposto por inúmeras autoridades aos seus cidadãos fosse apenas uma simples medida, Bolsonaro decidiu menosprezar na noite de domingo, 22, ao fazer um discurso à TV Record, as medidas de proteção para a não propagação do coronavírus entre os indivíduos.

Para o presidente, não tardará para que a sociedade descubra que foi enganada tanto pelos governadores quanto pela mídia. Isso porque, segundo sua concepção, os julgamentos que tem recebido devido à pandemia são decorrentes de um grande movimento criado para destituí-lo do cargo. “A grande mídia, governadores, de olho na minha cadeira, se puder antecipar minha saída, eles farão isso aí, mas da minha parte não terão oportunidade disso, nós vamos continuar nosso papel”, afirmou.

Na entrevista ainda pontuou que enfermidades como o coronavírus costumam ocorrer pelo mundo, e que por essa razão não deveríamos entrar em pânico. “Mais importante que a economia é a vida. Mas nós não podemos extrapolar na dose, com o desemprego aí, a catástrofe será maior”.

Quando perguntado sobre os dados às quais foram lhe apresentados, Bolsonaro informou que há um excesso nas informações expressas pelo Ministério da Saúde. “Eu não trabalho [com projeções de números], não interfiro no trabalho do Luiz Mandetta, nosso ministro da Saúde, eu vejo os números que partem de lá, dessas projeções, e to achando que há um exagero nisso daí”.