Notícias » Brasil

Bolsonaro visa fim da obrigatoriedade de máscaras para quem já foi contaminado ou vacinado

Declaração do presidente ocorreu durante um evento nesta quinta-feira, 10

Redação Publicado em 10/06/2021, às 20h20

Bolsonaro em julho de 2020
Bolsonaro em julho de 2020 - Getty Images

No momento em que o Brasil atinge 480 mil pessoas mortas em decorrência da pandemia do novo Coronavírus, o presidente Jair Bolsonaro anuncia uma pauta polêmica: o fim da obrigatoriedade do uso de máscaras para aqueles já vacinados contra o vírus e para os já infectados.

Nesta quinta-feira, 10, o mandatário informou que o assunto foi discutido com Marcelo Queiroga, atual ministro da Saúde.

"Acabei de conversar com um tal de Queiroga, não sei se vocês sabem quem é, e ele vai ultimar um parecer visando a desobrigar o uso de máscara por parte daqueles que foram vacinados ou que já foram contaminados. Para tirar esse símbolo, que obviamente tem a sua utilidade para quem está infectado", afirmou Bolsonaro durante presença em evento em Brasília.

Queiroga se manifestou após a fala do presidente. Ele explicou que para que isso seja possível, é necessário que a vacinação esteja em estado avançado. 

A visão dele vai de encontro com que a OMS já relatou. "No caso de um país que deseja retirar a obrigatoriedade da máscara... isso só deve ser feito no contexto de considerar tanto a intensidade de transmissão na área como o nível de cobertura vacinal", explicou Mike Ryan, especialista em emergências da OMS, durante uma conferência virtual realizada em maio de 2021.

Profissionais da saúde não recomendam 

A opinião do presidente não segue o que é passado pelos profissionais da área da saúde. Embora os que já se recuperaram da doença tenham anticorpos, não se trata de uma proteção duradora, afinal, existe o perigo da reinfecção e também das variantes da Covid. Assim, a máscara se torna indispensável.