Notícias » Brasil

Bombeiros retiram carro de rio e encontram corpo de empresário desaparecido

Edilson Joaquim Couto estava desaparecido desde o dia 20 de janeiro. "Eu estou arrasada e não sei o que pensar", declarou a filha do empresário

Fabio Previdelli Publicado em 23/02/2021, às 09h52

Veículo encontrado em Santa Catarina
Veículo encontrado em Santa Catarina - Divulgação/ Corpo de bombeiros

Na manhã de ontem, 22, o Corpo de Bombeiros de Santa Catarina encontrou o corpo de um homem dentro de um carro que estava submerso num rio de Balneário Piçarras, no Litoral Norte do Estado. As informações são do UOL. 

Segundo as autoridades locais, o corpo era do empresário Edilson Joaquim Couto, que estava desaparecido desde 20 de janeiro. Ainda foi informado que a equipe acabou sendo mobilizada após um mergulhador ter avistado o veículo na tarde do dia anterior, enquanto realizava um mergulho de pesca submarina.

Assim, uma escavadeira foi mobilizada para ajudar nas buscas, que começaram às 16 horas daquele mesmo dia. Porém, a primeira ação feita pelo 7º Batalhão do Corpo de Bombeiros Militar, que durou pouco mais de uma hora e meia, até o começo da noite, não teve sucesso nas buscas, que foram interrompidas e retomadas às 9 horas do dia seguinte (ontem). 

Nesta segunda busca, o carro foi encontrado e retirado com o auxílio da escavadeira. Enquanto o veículo estava sendo retirado da água, as autoridades verificaram a placa do mesmo e constataram que ele pertencia ao empresário.   

Quando o veículo já estava em solo, os bombeiros abriram a porta do carro e encontraram o cadáver em seu interior. Agora, as autoridades continuaram com as investigações para saber o que aconteceu com o empresário, qual o motivo de sua morte e como seu carro foi parar em um rio.  

A notícia chocou os familiares de Edilson. Segundo depoimento de sua filha, Izadora Couto, que foi entrevistada pelo UOL, ela ainda tinha esperanças de encontrar o pai com vida, porém, diz que localização do corpo traz certo alívio para ela, já que põem um ponto final na angustia que já durava mais de um mês.  

"Eu estou arrasada e não sei o que pensar. Tinha uma relação muito boa com ele, era um pai maravilhoso. Desde que ele se separou da minha mãe, eu ia todos os dias visitá-lo. Ele era muito família e sempre cuidou muito bem de mim e de meu irmão (já falecido). Meu irmão era autista e, em casos assim, muitos pais abandonam seus filhos e ele nunca abandonou. Foi um exemplo de pai", desabafou.