Notícias » família real

Boris Johnson lamenta morte do príncipe Philip: 'moldou e inspirou a vida de inúmeras pessoas'

Após a morte de Philip nesta sexta, 9, primeiro-ministro britânico se pronuncia

Vinicius Barbosa, supervisionado por Thiago Lincolins Publicado em 09/04/2021, às 11h13

Príncipe Philip e rainha Elizabeth II caminhando juntos, com suas sombras unidas
Príncipe Philip e rainha Elizabeth II caminhando juntos, com suas sombras unidas - Getty Images

Após a morte de Philipo primeiro-ministro britânico Boris Johnson se pronunciou nessa manhã de sexta-feira, 9, em Londres, demonstrando apoio à família real e gratidão pela vida do Conde de Edimburgo — outro título de Philip — que faleceu no Castelo de Windsor, em Berkshire, na Inglaterra. As informações são da agência de notícias de Reuters.

De luto e em frente à sua residência, Johnson disse que Philip "ajudou a orientar e conduzir a monarquia, para que permanecesse uma instituição indiscutivelmente vital para o equilíbrio e a felicidade da vida do Reino Unido".

O ministro continuou: "Philip moldou e inspirou a vida de inúmeras pessoas" e afirmou que sempre irá se lembrar do apoio que o príncipe deu ao longo de todos esses anos de união com a rainha Elizabeth II — "Nós nos lembramos do Duque, acima de tudo por seu apoio constante à Sua Majestade a Rainha, não apenas como seu consorte, ao seu lado, todos os dias de seu reinado, mas como seu marido, sua força e permanência de mais de 70 anos". 

Rainha Elizabeth II e príncipe Philip jovens, lado a lado /Crédito: Getty Images


Boris ofereceu condolências à família real e, em nome de toda a nação agradeceu toda a dedicação de Philip e trabalho extraordinário feito para o país. Lembrou que o príncipe foi um dos mais longevos consortes da história britânica e, provavelmente uma das últimas pessoas a combater a Segunda Guerra Mundial. Seu legado foi destacado pelo prêmie, dizendo que foi um "ambientalista e um campeão do mundo natural muito antes de estar na moda".

Por fim, Boris Johnson pediu aos cidadãos do Reino Unido que meditassem em memória ao príncipe e pelo bem da família — "É para Sua Majestade e sua família que os pensamentos de nossa nação devem se voltará hoje", disse.