Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Reino Unido

Brasileiro é condenado na Inglaterra por dopar e abusar sexualmente de dois homens

Há a suspeita de que Luiz da Silva Neto, de 36 anos, ainda teria feito outras vítimas

Fabio Previdelli Publicado em 16/07/2022, às 11h42

Luiz da Silva Neto, de 36 anos, dopou e abusou de dois homens - Divulgação/Polícia de Thames Valley
Luiz da Silva Neto, de 36 anos, dopou e abusou de dois homens - Divulgação/Polícia de Thames Valley

No Reino Unido, o brasileiro Luiz da Silva Neto, de 36 anos, foi condenado a 22 anos de prisão por drogar dois homens e abusar sexualmente deles. O primeiro crime foi cometido em novembro de 2021 e o segundo no mês seguinte, ambos em uma casa em Oxfordshire, no sudoeste da Inglaterra. 

Segundo a Justiça inglesa, ambas as vítimas relataram que acordaram nuas na casa sem saberem o que havia acontecido. Apesar de traumatizado, um dos homens se disse feliz por ajudar a "proteger outras pessoas desse monstro".

No julgamento de Silva Neto, a promotoria afirmou que o sujeito misturou nas bebidas de suas vítimas drogas como GHB (popularmente chamado de ectasy líquido), GHL ou outra substância similar

O promotor Matthew Walsh aponta que o elemento tido como “afrodisíaco” pode ter “efeitos eufóricos e alucinógenos”. Além do mais, ambas as substâncias não possuem cheiro e cor, e podem ser facilmente solúveis em líquidos. Por serem absorvidas pelo organismo de forma rápida, elas também são difíceis de detectar em exames. 

Outras vítimas? 

Segundo a BBC, a polícia inglesa trabalha com a possibilidade de que Luiz da Silva Neto tenha feito mais vítimas. "Estamos mantendo a mente aberta quanto à possibilidade de Silva Neto ter cometido outros crimes", disseram as autoridades ao veículo por e-mail. 

"Por causa das investigações, não podemos, neste momento, confirmar se outras vítimas se apresentaram”, explicam. O brasilerio chegou a alegar inocência, dizendo que todo contato sexual que teve com os dois homens foi feito de modo consensual, mas a promotoria rebateu essa tese.

"Silva Neto atacou deliberadamente homens heterossexuais pois ele acreditava ser menos provável que eles denunciariam os crimes à polícia, mas ele estava errado", disse o inspetor James Holden-White.

As duas vítimas demonstraram imensa coragem e é por causa delas que Silva Neto foi condenado e preso”, completou.