Notícias » São Paulo

Brasileiros buscam imóveis em Serrana, a cidade escolhida para passar por estudo de vacinação em massa

Tentando receber o imunizante contra o coronavírus, pessoas procuram alugar casas no interior de São Paulo

Alana Sousa Publicado em 10/02/2021, às 09h45

Imagem meramente ilustrativa de enfermeira com vacina
Imagem meramente ilustrativa de enfermeira com vacina - Divulgação/Pixabay

Um estudo inédito realizado pelo Governo de São Paulo está tendo consequências inesperadas. Após anunciar que a cidade do interior do Estado, chamada Serrana, passará por uma imunização em massa nos próximos dias, especialistas observam uma alta na procura de pessoas de fora para alugar imóveis na região.

Conforme noticiou o jornal Estadão, todos os moradores adultos de Serrana receberão as doses da vacina contra o coronavírus, com exceção de grávidas e lactantes. Enquanto alguns estão ansiosos para a primeira dose, que será aplicada no próximo dia 17, outros brasileiros viram isso como uma oportunidade para ser imunizado mais rapidamente.

Levando em consideração que a cidade foi profundamente atingida pela pandemia, tendo em vista que de 45 mil habitantes, mais de 2 mil foram infectados, e 57 deles vieram a óbito — quantidade grande para um local pequeno. A pesquisa inédita buscará resultado na vacinação da maior parte dos moradores, esperando uma diminuição nos casos de internação, infecção e mortalidade.

Marcela Amaral e Priscila Silva, assistentes administrativas de uma imobiliária relataram ao Estadão a alta procura de casas em Serrana. Pessoas de cidades vizinhas, da capital paulista e, até mesmo, de outros Estados, investem em uma tentativa de receber a Coronavac. “A procura é principalmente por imóveis baratos e simples. Em alguns casos, (os imóveis) não comportam o tanto de moradores que a pessoa diz que compõem a família”, afirma Amaral. E complementa que “há pessoas que propõem pagar um ano para manter o imóvel alugado por um mês”.

No entanto, a estratégia de tais brasileiros será em vão. Há meses, o Instituto Butantan passou a cadastrar os moradores de Serana para um projeto secreto, a fim de evitar um problema maior no futuro. Agora, com maior organização, o estudo segue com otimismo.