Notícias » Reino Unido

Britânica gera polêmicas ao chamar filho de 'Lúcifer'

"Gosto do nome porque gosto, não acho que represente o diabo", explicou Josie King, de 27 anos

Pamela Malva Publicado em 11/01/2022, às 21h00

Imagem meramente ilustrativa
Imagem meramente ilustrativa - Divulgação/ Pixabay/ Pexels

O nome de um bebê de sete meses vem gerando diversas discussões no Reino Unidos. Acontece que, segundo o UOL, a mãe da criança, Josie King, de 27 anos, decidiu chamar seu segundo filho de Lúcifer, causando uma onda de críticas.

Morando em Plymouth, no Reino Unido, a mulher participou de um programa na BBC que se propunha a falar sobre nomes de bebês. Na ocasião, Josie comentou sua escolha e, em resposta, recebeu diversos questionamentos nas redes sociais.

Em entrevista ao tabloide inglês Devon Live, no entanto, a mãe do pequeno Lúcifer afirmou que sequer pensou na imagem do diabo quando escolheu o nome do menino. 

"Não havia nenhuma inspiração para o nome. Eu olhei muitos livros de bebês e gosto de nomes incomuns. Não gosto de nomes padrão", narrou ela. "Antes eu acreditei que estava esperando uma menina. E resolvi chamá-la de Nárnia. Mas depois descobri que estava grávida de um menino.”

Mãe da pequena Talayla-May Barbara Elaine Kayleigh Kelsey Jade King, a britânica pontuou que prefere “nomes inspirados em coisas que gosto ou simplesmente porque os acho bonitos". “Quando escolhi o nome dele [Lúcifer], sabia que as pessoas não iriam gostar, mas é algo que não depende delas", narra ela.

O problema é que, nas redes sociais, diversos internautas não apenas questionaram a escolha da mulher, como ainda pontuaram que o menino seria "intimidado por toda a vida" por culpa de seu nome. As críticas vieram até mesmo da família de Josie.

Eu tinha membros da família dizendo 'você não pode chamá-lo assim', mas disse que não sou religiosa. Eles sabem como eu sou e que gosto de ser única", explicou. "Apesar de toda essa revolta, não mudei minha opinião, não me arrependo de escolher esse nome.”

"Gosto do nome porque gosto, não acho que represente o diabo. Se o diabo fosse chamado de outra coisa, as pessoas também não gostariam desse nome. É sobre a mentalidade das pessoas com o nome", finaliza Josie. "As pessoas sempre me perguntam o porquê, mas eu digo 'por que não?' O nome não é diferente de Sarah ou Dom.”