Notícias » Arqueologia

Cachimbo de 200 anos, apelidado de "Santo Graal da arqueologia", é identificado na Tasmânia

O objeto foi encontrado por um escavador amador em um antigo depósito de garrafas do século 19

Vanessa Centamori Publicado em 02/06/2020, às 09h33

Cachimbo encontrado em depósito de garrafas na Tasmânia
Cachimbo encontrado em depósito de garrafas na Tasmânia - Divulgação

Em Launceston, no norte da Tasmânia, Austrália, no ano de 2016, um escavador amador encontrou um cachimbo de 200 anos, com ornamento de tigre, enterrado entre várias garrafas quebradas, que datam do século 19. Agora, o item foi finalmente identificado após ser comprado em um leilão pelo pesquisador Stephen Sleightholme. 

O cachimbo foi descrito como uma espécie de "Santo Graal" da arqueologia, segundo arqueólogos australianos. O artefato possui decoração que representa um felino já extinto da espécie Thylacinus cynocephalus, além de uma ave kookaburra (Dacelo), introduzida em 1902, na Tasmânia. 

Enfeite presente no cachimbo / Crédito: Divulgação 

 

Segundo Sleightholme, o item comprado por ele corresponde "a representação mais antiga" do tigre Thylacinus cynocephalus já registrada. Após adquirir o artefato, ele informou outro pesquisador, Darren Watton, sobre um "burburinho na comunidade arqueológica e acadêmica" a respeito do cachimbo. 

Watton classificou o objeto como algo muito emocionante de se encontrar, em entrevista à Rádio ABC.  Acredita-se que cachimbos, assim como o recém-identificado, costumavam ser moldados em argila por meio de moldes. Depois de usados para o fumo, eles eram descartados. 

A fabricação da maioria deles ocorria no Reino Unido, ou em outras partes da Europa, e tais objetos eram depois importados para colônias. Porém, o achado em especial parece ser algo mais artesanal, feito por uma pessoa para uso próprio.