Notícias » Pandemia

Pug é o primeiro da espécie a testar positivo para o coronavírus nos EUA

O cachorro de nome Winston foi diagnosticado com a doença ,no entanto, não há motivos para pânico

André Nogueira Publicado em 29/04/2020, às 10h17

Pug
Pug - Wikimedia Commons

Pela primeira vez, um cachorro foi detectado com infecção do novo coronavírus. Trata-se de um pug examinado em Durham, Estados Unidos, durante uma pesquisa na Universidade de Duke. O patógeno já havia sido relatado na pelagem de cães, mas nunca um animal do tipo havia sido percebido com a Covid-19.

"Pelo que sabemos, esta é a primeira vez em que o vírus foi detectado em um cão", colocou Chris Woods, pesquisador do Estudo Molecular e Epidemiológico de Infecções Suspeitas ao canal CBS. O cachorro, de nome Winston, apresentou os sintomas iniciais da doença, mas está se recuperando. Porém, os pesquisadores já adiantam: o caso é extraordinariamente raro.

Pug Winston / Crédito: Divulgação/YouTube

 

O fato demorou a ser percebido: os pugs são conhecidos por apresentar problemas respiratórios e dificuldades de engolir ou inspirar. No entanto, o cão apresentava mudanças de comportamento, o que levou a dona, que vive perto da Universidade, a levá-lo até os pesquisadores. A família toda realizou testes, mas a filha, outro cachorro e até mesmo um lagarto não foram infectados.

Não existem indícios ainda de que o cachorro possa transmitir a doença, o que dispensa qualquer tipo de alarmismo. Os pesquisadores acreditam que a dona tenha passado o vírus para o animal.

"As pessoas não devem se preocupar com o fato de seus animais de estimação ficarem doentes e morrerem com esta doença, ainda há poucas evidências de que isso seja prejudicial para eles", colocou o filho da dona, Ben, à CBS.