Notícias » Estados Unidos

Campanhas políticas de Trump são retiradas do Facebook por apologia ao nazismo

Mensagens com referência a identificação de prisioneiros nos campos de concentração rodaram as redes e foram replicadas pelo perfil oficial do presidente

Caio Tortamano Publicado em 19/06/2020, às 07h00

Presidente americano Donald Trump
Presidente americano Donald Trump - Wikimedia Commons

Mais de 80 anúncios eleitorais da campanha de reeleição de Donald Trump foram retirados do ar pelo Facebook. A razão? As peças iriam contra as regras e diretrizes da comunidade, que proíbem mensagens de ódio organizado.

A rede social afirmou que as peças traziam ataques ao movimento Antifa — contra dissidências fascistas — e grupos de extrema-esquerda, utilizando um triângulo vermelho invertido, utilizado pelos nazistas para identificação de inimigos durante a Segunda Guerra Mundial.

Esses anúncios foram compartilhados nas páginas oficiais do presidente americano Donald Trump, seu vice, Mike Pence e uma página simpatizante ao republicano, chamada Team Trump (time Trump, em tradução livre). Nelas, havia uma acusação de que os grupos citados acima estariam destruindo cidades americanas durante protestos raciais.

Um porta-voz do Facebook afirmou que a publicação foi retirada por causa da política da empresa que “proíbe o uso de símbolos de grupos de ódio para identificar prisioneiros políticos sem um contexto que condene ou discuta aquele símbolo”.

Em defesa, a campanha de Trump respondeu a esses acontecimentos identificando os triângulos vermelhos, na realidade, como um suposto emoji que os movimentos antifascistas utilizam de maneira ampla. Contudo, não existe nenhuma evidência que comprove tal justificativa.

O símbolo era utilizado em presos políticos — entre eles comunistas, socialistas, liberais, anarquistas e qualquer outro regime que lutasse, ou não apoiasse, os ideais nazistas — e pessoas pegas que colaboraram com judeus no período da perseguição.