Notícias » Paleontologia

Restos impressionantes de urso de 39 mil anos são encontrados na Sibéria

Segundo pesquisadora envolvida, descoberta é impressionante porque “anteriormente, apenas crânios e ossos eram encontrados”; confira as imagens!

Isabela Barreiros Publicado em 14/09/2020, às 13h51

Carcaça de urso encontrada na Sibéria
Carcaça de urso encontrada na Sibéria - Divulgação/Universidade Federal do Nordeste (NEFU)

Essa foi a primeira vez que um urso-das-cavernas foi descoberto em um excelente estado de conservação, com seu tecido mole preservado. Pastores de renas foram responsáveis por encontrar duas carcaças muito antigas nas ilhas Lyakhovsky, na Sibéria, ao extremo norte da Rússia.

Crédito: Divulgação/Universidade Federal do Nordeste (NEFU)

 

Tratavam-se de um filhote e um adulto da espécie que, segundo análises preliminares realizadas pela equipe de cientistas da Universidade Federal do Nordeste (NEFU) em Yakutsk, Sibéria, tem entre 22.000 e 39.500 anos. Para o pesquisador sênior do laboratório Mammoth Museum em Yakutsk, Maxim Chepraso “é necessário realizar análises de radiocarbono para determinar a idade precisa do urso."

Os especialistas afirmaram também que os animais pertenciam à espécie Ursus spelaeus, que foi extinta há cerca de 15 mil anos, vivendo na Eurásia durante o Pleistoceno Médio e Superior.

Crédito: Divulgação/Universidade Federal do Nordeste (NEFU)

 

"Hoje esta é a primeira e única descoberta desse tipo - uma carcaça de urso inteira com tecidos moles. Está completamente preservada, com todos os órgãos internos no lugar incluindo até o nariz”, escreveu a cientista Lena Grigorieva em um comunicado. "Anteriormente, apenas crânios e ossos eram encontrados. Esta descoberta é de grande importância para o mundo inteiro”, concluiu.