Notícias » Entretenimento

Carlinhos Brown fala sobre Rock in Rio 2001: 'Tem racismo, preconceito contra o gênero, contra a música'

Na terceira edição do festival, o cantor passou por um cruel episódio, no qual foi vítima de vaias e garrafadas

Pamela Malva Publicado em 23/11/2021, às 15h00

Fotografia de Carlinhos Brown
Fotografia de Carlinhos Brown - Divulgação/ Instagram/ @carlinhosbrown

Em 2001, Carlinhos Brown participava da terceira edição do Rock in Rio quando foi vaiado pelo público do festival. Em entrevista recente à Folha, então, ele comentou o episódio no qual ele ainda recebeu diversas garrafadas durante sua apresentação.

Questionado sobre aquele dia do festival, que tinha a banda Guns N’ Roses como principal atração, o cantor afirmou que sofreu “um dos primeiros cancelamentos” na história do Rock in Rio. Isso sem contar o racismo e o preconceito contra seu gênero musical que Carlinhos Brown acredita ter sido vítima em meio ao evento.

Precisamos de tempo para observar o que são as coisas. E o cancelamento talvez seja a síntese [do episódio]”, narrou o artista, à Folha. “E dentro do cancelamento tem tudo. Tem racismo, preconceito contra o gênero, contra a música.”

Acontece que, na época, Carlinhos Brown tinha pensamentos um pouco distintos dos que tem hoje. "Eu era um artista muito mais frágil naquele momento, com expectativas gigantes jogadas naquele momento, já estava com música estourada”, explicou.

Já tinha criado, com meus amigos, o axé music”, continuou ele. “Mas eu era frágil com inocências antropofagistas. Me vestia como índio, não queria me vestir como o cara do rock'n'roll."

Apesar das vaias, contudo, Brown enxerga um lago positivo no curioso episódio. “Que bom que houve aquele choque porque a gente sabia que, no Rock in Rio, a palavra rock, suas quatro letras, era maior que Rio”, narrou ele. “Mas a gente também estava dizendo que o Rio é enorme. A música brasileira precisava ser mostrada."

Por fim, o artista revelou que, para ele, o episódio no Rock in Rio foi uma provocação de Roberto Medina, o dono do festival. Responsável por escalar os músicos, ele decidiu apresentar Brown no mesmo dia que as bandas de metal. É por isso, inclusive, que o artista pensa em voltar: "Queria fazer um convite, quero fazer aquele show de novo."

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Carlinhos Brown (@carlinhosbrown)