Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Brasil

Carro de som divulga desinformação sobre vacinação infantil em SP

O veículo circulou por Higienópolis na última sexta-feira, 4, e chamou bastante atenção nas redes sociais

Pamela Malva Publicado em 05/02/2022, às 14h30

Imagem do carro de som - Divulgação/ G1
Imagem do carro de som - Divulgação/ G1

Na tarde da última sexta-feira, 4, um carro de som circulou pelas ruas de Higienópolis, na Zona Oeste de São Paulo, disseminando diversas críticas à vacinação infantil contra o coronavírus. Vídeos do veículo, então, foram compartilhados nas redes sociais.

Na gravação, a voz transmitida afirma que as vacinas não são tão eficientes quanto um tratamento. “A doença tem uma coisa que todo pediatra sabe, uma coisa que vacina não dá: IgA”, afirma o homem, que não teve sua identidade divulgada, segundo o G1.

Esse IgA é muito importante para quem tem doenças respiratórias das vias aéreas superiores”, afirma a voz. “Você pode imunizar as crianças com complicações pulmonares, mas não tratá-las.”

Segundo a mensagem, os infectados pela covid-19 chegam a criar IgA — um anticorpo que representa entre 15% e 20% das imunoglobulinas do corpo humano. Sendo assim, seria mais eficiente garantir o IgA do que se vacinar. A informação, todavia, é falsa.

De acordo com o diretor da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), Renato Kfouri, a mensagem disseminada pelo carro de som é bastante grave. Isso porque, além de ir contra a vacinação das crianças, ainda espalha diversas inverdades.

É claramente uma campanha antivacina e difamatória”, narra o especialista, ao G1. “Ao meu ver ,é criminoso realizar essa campanha contrária de veiculação por qualquer meio. Contaminar as pessoas com inverdade, nesse momento de pandemia, esse tipo de propaganda é ilegal e assume contornos mais perigosos.”

Ainda mais, Kfouri deixa claro que a IgA, citada pela mensagem, “é um dos anticorpos que a gente produz para qualquer infecção”. “Não medimos se alguém está protegido ou imunizado através desse tipo de anticorpo, [para isso] a gente usa o IgG — anticorpos neutralizantes que possuem algum correlato com proteção", explica.

Você ter ou não ter IgA nunca foi relacionado como meio de proteção”, narra. “O IgA é um tipo de imunoglobulina que a gente produz como defesa, chamadas imunoglobulinas secretórias, que estão presentes no leite materno, saliva e secreções respiratórias.”

Por fim, o especialista ainda reforça a importância de imunizar crianças contra a covid-19. “No início, foi muito falado sobre a priorização dos adultos na vacinação e muitos interpretaram isso como se as crianças não precisassem tomar a vacina. Isso não é verdade, tivemos muitas crianças internadas com Covid-19 e com complicações”, disse.

“Hoje a Covid-19 é a doença prevenível com vacina que mais mata, mais hospitaliza crianças quando comparada com doenças que também possuem vacinas. Então é óbvio que existe a necessidade de vacinar crianças.”, afirma Kfouri. Agora, o caso do carro de som está sendo apurado pelo Ministério Público de São Paulo, segundo o G1.