Encontradas no lixo, cartas de Olga Benário e Luís Carlos Prestes vão a leilão

Correspondência mostra o drama do casal após a derrota na rebelião comunista de 1935

segunda 19 novembro, 2018
Cartas entre Olga e Prestes mostram a paixão e o drama da vida do casal
Cartas entre Olga e Prestes mostram a paixão e o drama da vida do casal Foto:Reprodução

Encontradas no lixo de Copacabana, cartas trocadas entre Olga Benário e Luís Carlos Prestes mostram o amor e o drama do casal após a derrota na rebelião de 1935, promovida pelo Partido Comunista com o objetivo de instaurar no Brasil uma ditadura do proletariado.

A correspondência entre Olga e Prestes está entre as 330 cartas do líder do PCB achadas no Rio de Janeiro. Os documentos vão a leilão na próxima quarta-feira, 21 de novembro.

Notícias Relacionadas

As cartas mostram o drama vivido pelo casal quando, derrotados, foram presos e separados. Em um sábado, 4 de abril de 1936, Olga escreveu:

“Meu querido, espero que essas linhas cheguem nas suas mãos. Eu queria muito te dizer uma coisa que diz respeito somente a nós dois. Mas diante das circunstâncias, não me resta [nada mais] que essa possibilidade. Querido, nós temos um filho. Esse acontecimento me faz muito feliz, ainda que eu me dê conta das dificuldades que terei de atravessar.”

Separada de Prestes havia um mês, Olga demonstra aflição por não saber como o marido está, mas garante que terá forças para resistir:

“Querido, como eu queria saber de você, se você está vivo, com saúde, eu não sei de nada. Estou muito, muito inquieta e te peço para me dar uma resposta a esta carta. Você sabe que todo o meu coração e meus pensamentos estão sempre perto de você.”

Letícia Yazbek


Leia Mais:

Receba em Casa

Vídeos

Mais Lidas

  1. 1 Crianças que nasceram como resultado do horrível programa Há 82 anos, nazistas começavam seu repugnante programa de ...
  2. 2 Os quatro milênios da Babilônia
  3. 3 Uma tempestade chamada Pagu
  4. 4 Inquisição: A fé e fogo
  5. 5 Marginália: As alucinadas ilustrações dos livros medievais