Notícias » Personagem

Cartas perdidas revelam que George Orwell tinha consentimento da esposa para transar com amante

Correspondências compradas recentemente pelo filho do escritor, revelam como a esposa de Orwell aprovou que ele se encontrasse com amiga duas vezes ao ano

André Nogueira Publicado em 21/01/2020, às 10h52

George Orwell
George Orwell - Getty Images

Após a compra de cartas de George Orwell pelo filho, foi revelado que o escritor comunicou a uma amiga, Brenda Salkeld, que sua esposa aprovara que eles mantivessem relações extraconjugais. Algumas dessas correspondências foram publicadas pelo The Times.

De acordo com Richard Blair, filho do artista, as cartas foram compradas com o objetivo de serem integradas ao Arquivo George Orwell, na University College London. "Eram cartas muito pessoais. Eu acho que houve um pouco de contato físico em ambos os casos de tempos em tempos. Ele gostava de mulheres muito fortes. Mulheres que tinham uma opinião.”

Brenda Salkeld / Crédito: Domínio Público

 

Segundo a correspondência de Orwell a Salkeld, sua esposa, Eileen O’Shaughnessy, desejava que ele pudesse dormir com a amante duas vezes por ano apenas para assegurar a sua total felecidade.

"Eu não sei se você já percebeu o quanto você significa para mim. Além disso, você disse que pensava em ter um amante e, nesse caso, não vejo por que não poderia seu eu", escreveu o autor antes das cartas encontradas pelo filho.

A comunicação com a amante consensual ocorreu até o segundo casamento do autor de A Revolução dos Bichos, que aconteceu semanas antes de sua morte, em janeiro de 1950.