Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Pitbull

Caso de pitbull que matou idosa é investigado como homicídio culposo

Dono do pitbull e testemunhas prestaram esclarecimentos na polícia de Nilópolis

Redação Publicado em 15/07/2022, às 17h54

Imagem ilustrativa de cachorro da raça pitbull - Foto de 6890623, via Pixabay
Imagem ilustrativa de cachorro da raça pitbull - Foto de 6890623, via Pixabay

Em Nilópolis, na Baixada Fluminense, a polícia está investigando o caso do cão pitbull que matou uma idosa, como homicídio culposo – quando não há intenção de matar. Quem pode ser o responsabilizado pelo crime é o dono do cachorro.

A Polícia Civil informou, em nota, que além da perícia feita no local, as testemunhas e o tutor do animal prestaram depoimento na 57ª DP, em Nilópolis. Quando sofreu o ataque, Joselina Serqueira, de 81 anos, estava na Estrada Elizeu Alvarenga, no bairro Olinda.

A situação aconteceu na manhã desta sexta-feira, 15. Os bombeiros foram acionados, mas quando chegaram ao local, a idosa já estava morta. O filho da idosa, Romário Dionísio Maria, disse que chegou no local momentos depois do ataque, mas de nada adiantou.

"Não teve tempo de reação, nem as pessoas que bateram no cachorro para ele poder soltar, porque ele não soltava. Quando soltou, já era tarde", comentou.

Nova campanha

O vereador Luiz Ramos Filho, presidente da Comissão de Defesa dos Animais da Câmara Municipal do Rio, anunciou uma campanha de conscientização para os tutores de cães de raças que são consideradas ferozes, para que saiam com guias e focinheiras, segundo o G1.

O vereador explica: “Claro que a culpa não é do animal. Não se pode perseguir o animal de uma determinada raça por ser mais forte e ter maior potencial ofensivo. Mas os tutores precisam ter a consciência de que não é possível botar a vida de outras pessoas e outros animais em risco”.