Notícias » Antártica

Casos de coronavírus são registrados na Antártica, único continente que estava livre do vírus até então

Pelo menos 36 pessoas apresentaram resultado positivo para Covid-19, em uma base do exército chileno

Redação Publicado em 22/12/2020, às 14h04

Fotografia do monte Herschel, na Antártica
Fotografia do monte Herschel, na Antártica - Wikimedia Commons

De acordo com informações publicadas nesta terça-feira, 22, pela BBC, um surto de infecção pelo novo coronavírus foi registrado na Antártica, até então, o local era o único continente que estava livre da Covid-19.

Segundo revelado na reportagem, pelo menos 36 casos foram registrados em uma base do Exército do Chile que é mantida no continente. As suspeitas iniciaram após um dos membros da equipe demonstrar sintomas, ser submetido a um teste e ter apresentado resultado positivo.

“36 homens testaram positivo para a Covid-19, dos quais 26 correspondem a efetivos do Exército e dez são civis de uma empresa terceirizada, que estava fazendo trabalhos de manutenção programados na base antártica”, revelou o comunicado oficial da Marinha do Chile. De acordo com a nota, os homens infectados estão isolados e recebendo tratamento.

Antes do ocorrido, o continente era referência na luta contra o vírus, desde o início da pandemia as viagens de turismo haviam sido canceladas e, além disso, o contato entre membros das 40 bases internacionais instaladas no local é proibido.

Sobre a Covid-19

Atualmente, o Chile é o sexto país mais afetado pela pandemia na América Latina, de acordo com as últimas informações dos órgãos de saúde, o local registra 589 mil casos do novo coronavírus.

Em 1º de dezembro de 2019, o primeiro paciente apresentava sintomas do novo coronavírus em Wuhan, epicentro da doença na China, apontou um estudo publicado na revista científica The Lancet em fevereiro deste ano.  

De lá pra cá, a doença já infectou mais de 77 milhões de pessoas ao redor do mundo, totalizando mais de 1.703.164 milhão de mortes, sendo mais de 187 mil delas apenas no Brasil, que está no segundo lugar entre os países onde mais pessoas morrerem por complicações da Covid-19. O primeiro deles é os EUA, com mais de 319 mil.