Notícias » Brasil

Causa da morte de voluntário da vacina CoronaVac foi suicídio

A informação foi divulgada pela TV Cultura e condiz com a indignação de representantes do Instituto Butantan, que acreditam ser injusta suspensão dos testes pela Anvisa

Caio Tortamano Publicado em 10/11/2020, às 15h37

Imagem ilustrativa de vacina
Imagem ilustrativa de vacina - Pexels

De acordo com a emissora TV Cultura, a causa de morte do voluntário da vacina CoronaVac foi o suicídio, conforme aponta laudo do IML (Instituto Médico Legal). O imunizante em questão está sendo desenvolvido pela Sinovac em parceria com o Instituto Butantan.

O apresentador do Jornal da Tarde, da TV Cultura, Aldo Quiroga, afirmou durante o programa que “os médicos não podem dizer em nome da ética médica”, mas que os jornalistas, em contrapartida, deveriam agir em nome do interesse público, e relatou que a morte do voluntário tinha sido causada por um suicídio, não tendo relação nenhuma com a vacina.

A informação foi divulgada pelo veículo de imprensa no meio de uma discussão crucial a respeito dessa vacina em específico, uma vez que a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) decidiu suspender os testes clínicos com a CoronaVac por considerar ter ocorrido um efeito adverso grave ao voluntário. O presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas, afirmou, porém, que essa reação não tem qualquer relação com a vacina.

De acordo com a Istoé, o coordenador executivo do Comitê de Contingência do Coronavírus em São Paulo, João Gabbardo, afirmou durante entrevista coletiva que: “Me sinto muito constrangido porque, por razões éticas, não podemos ser transparentes em relação ao que está acontecendo hoje. Se vocês pudessem ter acesso às informações que nós temos em relação a este caso, poderiam identificar o quão injusta está sendo está penalidade”.